No ar:
Essência Gaúcha - Marcelo Peronio    14h00min às 16h00min

Ouvir!     

» Vida / Estilo » Casa


30/04/2018 | 12h05min

O significado das cores primárias na decoração

Azul, amarelo, vermelho, elas transformam seu dia a dia

Azul é tudo de bom. Foto: DivulgaçãoAzul é tudo de bom. Foto: Divulgação

As cores primárias são o amarelo, o vermelho e o azul. Elas dão origem a todas as cores secundárias e terciárias. São cores tidas como vibrantes, que na decoração marcam presença e enchem os ambientes de personalidade.

 

Que tal aprender a melhor maneira de usá-las?


Comecemos pelo azul, uma cor que transmite tranquilidade e calma. Também está associado à organização.


Quanto mais claro o tom do azul, maior a sensação de tranquilidade, portanto, cuidado neste ponto: se a ideia é decorar um quarto, os tons claros combinam superbem, mas para outros cômodos como a sala e a cozinha prefira nuances mais fortes da cor.


vermelho, por sua vez, faz uma oposição ao azul, ganhando um significado mais forte. Seu uso marca um ambiente com energia e intensidade. Como cor quente, traz consigo uma veia passional. Prefira evitar a cor em dormitórios, pois pode atrapalhar o sono. Aposte na cozinha e em menor quantidade na sala.


Já o amarelo é carregado de simbolismos. Estimula a concentração, desperta o otimismo e enche os ambientes de vitalidade. É a cor do sol, a cor da alegria! Pode ser utilizado tanto em móveis de destaque quanto em objetos menores, do quarto ao living, da cozinha à área de serviço.


E quem disse que misturar as cores primárias em um mesmo ambiente está proibido? Sabendo utilizar com equilíbrio, a mescla de duas ou até mesmo das três cores primárias pode criar espaços cheios de personalidade. 

 

dica Móveis Castinni
 


Veja também:


14/12/2018 | 09h20min

» Segurança: Brigada Militar de Santiago efetua prisão por embriaguez

12/12/2018 | 12h18min

» #aguanaboca: Sorvete de doce de leite com 2 ingredientes

11/12/2018 | 16h16min

» : Casa do Papai Noel será aberta nesta quinta. Renda será o presente de Natal do Asilo


Comentários:


Voltar ao topo