No ar:
Plantão Gaúcha - Rede Gaúcha Sat    00h00min às 04h59min

Ouvir!     

» Vida / Estilo » Saúde


19/05/2024 | 12h55min

Hérnia de disco tem cura? Entenda a condição que afeta a coluna

Para ter bons resultados no tratamento de hérnias de disco, é importante buscar um acompanhamento profissional

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

Problemas na coluna são uma realidade comum na vida de muitas pessoas, segundo a OMS - Organização Mundial da Saúde, 80% da população mundial já teve ou terá dores nas costas, algo que afeta diretamente a qualidade de vida e restringindo atividades diárias. 

Entre os diversos problemas de coluna, a hérnia de disco é uma das principais causas de desconforto, mas também ainda é alvo de diversas dúvidas sobre o seu surgimento e tratamento.

 

Como surge a hérnia de disco?

De acordo com o Nеuro-Ortopеdista, Dr. Luiz Fеlipе Carvalho, o surgimento de hérnia acontece nos discos gelatinosos na coluna vertebral.

A hérnia de disco surge principalmente devido ao desgaste natural da coluna vertebral com o envelhecimento. Ela surge quando o núcleo gelatinoso do disco intervertebral se projeta para trás rompendo o anulo fibroso, pressionando os nervos e gerando lesões causadas por movimentos bruscos, esforço excessivo ou traumatismos também podem contribuir para o desenvolvimento da hérnia de disco”, explica.

 

Tratamento para a hérnia de disco

A abordagem usada para tratar a hérnia de disco pode variar bastante de acordo com a gravidade do caso e da situação do paciente, para ajudar a restaurar a qualidade de vida do paciente, explica Dr. Luiz Felipe Carvalho.

Em casos menos graves, normalmente são usados métodos menos invasivos, como fisioterapia, medicamentos e repouso, que podem aliviar os sintomas. Podemos utilizar técnica de tratamento com uso de célula tronco para modulação das dores e diminuição da hérnia discal. Já em situações mais graves, podem ser necessárias cirurgias para aliviar a pressão sobre os nervos”.

Em muitos casos, a condição pode ser gerenciada de forma eficiente, permitindo que as pessoas levem vidas ativas normalmente após o tratamento. Mas alguns fatores não podem ser totalmente eliminados, como o desgaste natural pelo envelhecimento”, explica Dr. Luiz Felipe Carvalho.


Veja também:


16/06/2024 | 10h03min

» : Não é só gotinha: entenda como funciona a vacinação contra a pólio

13/06/2024 | 17h24min

» : Nova Caderneta da Criança atualiza teste para detecção de autismo

10/06/2024 | 13h46min

» : Obesidade: Os 5 segredos do combate à doença


Comentários:


Voltar ao topo