No ar:
Olho Vivo - Jones Diniz    08h10min às 09h55min

Ouvir!     

» Vida / Estilo » Saúde


15/05/2023 | 10h38min

Estressado na segunda? 9 razões para pegar leve com o seu cérebro

Exaustão cerebral é uma realidade que muitos enfrentam.

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

O cenário atual do mercado de trabalho é marcado por um ritmo acelerado e uma constante demanda por produtividade. Essa pressão constante pode ter efeitos significativos em nossa saúde mental e bem-estar, resultando em exaustão e sobrecarga cerebral. À medida que nos esforçamos para acompanhar o ritmo implacável, é importante entender os impactos que isso pode ter em nosso cérebro e buscar maneiras de protegê-lo.

 

A exigência constante e o estado de alerta, muitas vezes ininterrupto, a que estamos expostos no ambiente de trabalho moderno podem levar a um estresse crônico. Quando estamos constantemente em alerta máximo, nosso cérebro fica sobrecarregado, afetando nossa capacidade de concentração, tomada de decisões e até mesmo a nossa saúde física.

 

A exaustão cerebral é uma realidade que muitos enfrentam. A busca incansável por resultados pode levar a um desgaste mental, prejudicando a saúde geral e a qualidade de vida. Para evitar que isso aconteça, é essencial encontrar um equilíbrio entre a produtividade e o descanso, permitindo que nosso cérebro se recupere e se regenere.

 

Nesse contexto, é fundamental começar a semana de forma positiva e respeitando os limites do nosso cérebro. Aqui estão nove dicas valiosas para pegar leve com o cérebro no início da semana:

 

Planeje pausas regulares: Reserve momentos ao longo do dia para desconectar e descansar a mente;

Pratique a atenção plena: Reserve alguns minutos para meditar ou se concentrar na respiração, diminuindo o estresse e promovendo a clareza mental;

Defina prioridades: Organize suas tarefas em ordem de importância, focando naquelas que são mais relevantes;

Estabeleça limites: Aprenda a dizer "não" quando necessário e defina limites saudáveis ​​para seu tempo e energia;

Divida grandes tarefas: Tarefas complexas podem parecer avassaladoras, portanto, divida-as em etapas menores e mais gerenciáveis;

Pratique exercícios físicos: A atividade física regular é benéfica para o cérebro, liberando endorfinas e reduzindo o estresse;

Durma o suficiente: Uma boa noite de sono é essencial para o funcionamento adequado do cérebro e para a restauração de energia;

Alimente-se adequadamente: Uma dieta balanceada, rica em nutrientes, contribui para a saúde cerebral e o bem-estar geral;

Cultive hobbies e interesses: Reserve tempo para atividades que tragam prazer e relaxamento, permitindo que seu cérebro descanse e se recupere.

De olho no tempo!

 

Se você não tem total controle das demandas e atividades do seu dia a dia, uma boa estratégia que pode impactar diretamente na sua produtividade e bem-estar é dar mais atenção a gestão de tempo. A gestão de tempo além de impactar diretamente em problemas relacionados a procrastinação, oferece uma maior sensação de aproveitamento do dia, organizando agendas e ressignificando prioridades, o que ajuda muito, segundo a neurocientista parceira do Método SUPERA – Ginástica para o cérebro, Livia Ciacci “A forma como utilizamos e administramos nosso tempo determina nossa produtividade, eficiência e qualidade de vida. Uma boa gestão do tempo permite que tenhamos mais controle sobre nossas atividades, priorizando o que é realmente importante, evitando a procrastinação e o desperdício de tempo em tarefas desnecessárias. Além disso, uma boa administração do tempo nos permite equilibrar nossas responsabilidades, diminuir o estresse e ter tempo para descanso, lazer e convívio com pessoas queridas. É por meio da gestão do tempo que conseguimos realizar mais, alcançar nossos objetivos e ter uma vida mais equilibrada e satisfatória”, concluiu. 

 


Veja também:


19/05/2024 | 12h55min

» : Hérnia de disco tem cura? Entenda a condição que afeta a coluna

17/05/2024 | 16h32min

» : Saúde define estratégia para vacinação em abrigos no Rio Grande do Sul

16/05/2024 | 10h24min

» : Rio Grande do Sul: como o trauma da catástrofe pode afetar as vítimas?


Comentários:


Voltar ao topo