No ar:
Plantão Gaúcha - Rede Gaúcha Sat    00h00min às 04h59min

Ouvir!     

» Vida / Estilo » Saúde


28/01/2023 | 17h20min

Dermatologista fala sobre como identificar o câncer de pele no início

Doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, cerca de 60% da população se expõe ao sol sem qualquer proteção no nosso país. 

 

A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Essas células se dispõem formando camadas e, de acordo com as que forem afetadas, são definidos os diferentes tipos de câncer. Os mais comuns são os carcinomas basocelulares e os espinocelulares. Mais raro e letal que os carcinomas, o melanoma é o tipo mais agressivo de câncer da pele.

 

De acordo com o médico dermatologista Gustavo Martins, o câncer de pele quando diagnosticado e tratado no início tem uma grande chance de cura.

 

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) divulgou que cada ano surgem 185 mil novos casos de câncer de pele no Brasil, doença que responde por 33% de todos os diagnósticos dessa doença no país.

 

O médico também pontuou que alguns cuidados o câncer da pele pode se assemelhar a pintas, eczemas ou outras lesões benignas. 

 

“Somente um exame clínico feito por um médico especializado ou uma biópsia podem diagnosticar o câncer da pele. Só que os sintomas geralmente, são: uma lesão na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada e que sangra facilmente, também pode ser um pinta preta ou castanha que muda sua cor, ou até uma mancha desconhecida”, pontuou.


Veja também:


21/05/2024 | 16h57min

» : Vacina segue liberada nas unidades de Saúde de Santiago

19/05/2024 | 12h55min

» : Hérnia de disco tem cura? Entenda a condição que afeta a coluna

17/05/2024 | 16h32min

» : Saúde define estratégia para vacinação em abrigos no Rio Grande do Sul


Comentários:


Voltar ao topo