No ar:
Tá em casa - Ieda Beltrão    14h00min às 15h00min

Ouvir!     

» Geral » Economia


14/05/2020 | 16h20min

Vendas no varejo recuaram 2,5% em março

Média móvel trimestral, após decréscimo de 0,4% no trimestre encerrado em fevereiro, recuou 1,1% no trimestre encerrado em março

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

As vendas no varejo recuaram 2,5% em março de 2020 em relação a fevereiro (série com ajuste sazonal). A média móvel trimestral, após decréscimo de 0,4% no trimestre encerrado em fevereiro, recuou 1,1% no trimestre encerrado em março.

 

Na série sem ajuste sazonal, o comércio varejista recuou 1,2% em relação a março de 2019, contra aumento de 4,7% em fevereiro. Foi a primeira queda após 11 meses consecutivos de variações positivas nesta comparação.

 

O isolamento social devido à pandemia teve impactos distintos. Seis das oito atividades pesquisadas registraram queda no volume de vendas do comércio varejista, sobretudo aquelas que tiveram suas lojas físicas fechadas em algumas cidades do país, a partir da segunda quinzena do mês.

 

Apresentaram resultados negativos: Tecidos, vestuário e calçados (-42,2%), Livros, jornais, revistas e papelaria (-36,1%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-27,4%), Móveis e eletrodomésticos (-25,9%), Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-14,2%), Combustíveis e lubrificantes (-12,5%).

 

Em contrapartida, Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (14,6%) e Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,3%), atividades consideradas essenciais durante o período de quarentena, apresentaram avanço nas vendas frente a fevereiro de 2020.

 


Veja também:


02/06/2020 | 10h25min

» Polícia: Hidroxicloroquina começa a ser contrabandeada no Brasil

02/06/2020 | 10h19min

» Tecnologia: Pesquisa indica maior consumo de vídeo e áudio online no Brasil

02/06/2020 | 10h07min

» Pesquisa: Estudantes de Agronomia da Uri Santiago aprovam artigo que fala sobre solo


Comentários:


Voltar ao topo