No ar:
Baita Chão - Marco Antônio Nunes e Marcelo Peronio    15h00min às 16h00min

Ouvir!     

» Geral » Vale do Jaguari


18/03/2019 | 17h24min

Silêncio que será quebrado com manifesto contra a precariedade das estradas estaduais

Após um mês da visita dos prefeitos de toda a região ao secretário dos Transportes, Juvir Costella, nenhuma resposta

Situação lamentável das estradas. Foto: DivulgaçãoSituação lamentável das estradas. Foto: Divulgação

Nesta quarta-feira (20) fará um mês da visita dos prefeitos de toda a região ao secretário dos Transportes, Juvir Costella. E até o momento, o Governo não demonstrou nenhum esforço para a recuperação das estradas estaduais que estão em condições precárias, causando numerosos prejuízos para diversas áreas. 

 

A resposta ao silêncio do secretário estadual virá em forma de manifesto por parte das lideranças de toda a região. Conforme o prefeito Tiago Gorski Lacerda, nesta quarta, às 9h, acontecerá uma grande mobilização no trevo de acesso ao bairro Italiano, em São Francisco de Assis, reunindo prefeitos, vereadores, Corede, Comudes, Sindicatos Rurais, associações empresariais, universidades e produtores rurais de toda a região.

 

O manifesto pretende cobrar as melhorias necessárias na RS 377, RS 241, RS 640, RS 241 e VRS 825.

 

"Precisamos de estradas em condições para atender o transporte da safra de grãos, de alunos das escolas municipais, estaduais e universitários, de pacientes da área da saúde e também em função do comércio e indústria de toda a região", afirmou o prefeito Tiago Gorski, que esteve reunido com o presidente do Corede, Heitor Leal e com os vereadores assisenses Elizandra Sacardi e Vasco Carvalho, para definir sobre o manifesto.


Veja também:


18/07/2019 | 11h05min

» Solidariedade: Campanha do Agasalho de Santiago perto de 70 mil peças arrecadadas

18/07/2019 | 10h20min

» Saúde: Excesso de café aumenta chance de pressão alta em pessoas predispostas

18/07/2019 | 10h17min

» Comportamento: Instagram deixa de mostrar número de curtidas das postagens


Comentários:


Voltar ao topo