No ar:
Oração da Ave Maria - Paróquia Nossa Senhora da Conceição    17h55min às 18h00min Buenas Tarde meu Santiago (1º parte) - Marco Antônio Nunes    17h00min às 18h00min

Ouvir!     

» Geral » Pandemia


14/09/2020 | 17h48min

Santiago deve seguir os protocolos da bandeira vermelha; entenda

Comércio não essencial (atacadista) com atendimento presencial, em até quatro dias por semana e, no máximo, sete horas por dia entre 9h e 17h.

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

Com a classificação na região de Santa Maria, Santiago começa a seguir a bandeira vermelha a partir desta quarta-feira. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Sadi Gioda, ressaltou que o municípip não entrou na regra 0 -0, que  podem adotar o protocolo da bandeira laranja. A Regra 0-0 vale para locais que não tenham registrado nem óbitos nem hospitalizações associadas à Covid-19 nos últimos 14 dias.

 

Entenda como deve funcionar serviços e comércio a partir de agora:

 

Comércio não essencial (atacadista) até 25% de trabalhadores para atendimento com tele-entrega e drive-thru. Com atendimento presencial, em até quatro dias por semana e, no máximo, sete horas por dia entre 9h e 17h.

 

Comércio de rua de produto não essencial (varejista) com até 25% dos trabalhadores. Pode funcionar com comércio eletrônico, tele-entrega, pegue e leve e drive-thru. Atendimento presencial pode funcionar até quatro dias por semana e, no máximo, sete horas por dia entre 9h e 17h.

 

Comércio de produto não essencial em shopping e centro comercial (varejista)  com até 25% dos trabalhadores no atendimento presencial, que deve funcionar até quatro dias por semana e, no máximo, sete horas por dia entre 9h e 17h. Também pode operar com comércio eletrônico, tele-entrega e drive-thru.

 

Comércio atacadista e varejista de produtos essenciais até 50% de trabalhadores com atendimento presencial restrito, tele-entrega, pegue e leve e drive-thru.

 

Comércio varejista de produtos alimentícios (mercados, açougues, fruteiras e padarias) até 50% de trabalhadores com atendimento presencial restrito, também pode operar com tele-entrega, pegue e leve e drive-thru.  

 

Comércio de combustíveis  até 75% de trabalhadores com atendimento presencial sem aglomerações.

 

Comércio de veículos  até 25% de trabalhadores funcionamento com teleatendimento, até quatro dias por semana e, no máximo, sete horas por dia entre 9h e 17h.

 

Manutenção e reparação de veículos  até 25% de trabalhadores com atendimento presencial restrito.

 

Alimentação

 

Restaurantes a la carte, prato feito, buffet sem autosserviço – até 50% de trabalhadores e 25% de lotação, até cinco dias por semana e, no máximo, sete horas por dia entre 9h e 17h.
Restaurantes de autosserviço – fechados
Lanchonetes e lancherias – 50% de trabalhadores somente para tele-entrega, pegue e leve, drive-thru.
Hotéis e similares – 40% dos quartos. Nos estabelecimentos que ficam em beira de estradas, são 75% dos quartos disponíveis.

 

Serviços

 

Fechados: bares, pubs, cinema, entre outros.
Serviços de educação física (academias, centros de treinamento, estúdios e similares): 25% de trabalhadores,
Serviços de higiene pessoal (cabeleireiro e barbeiro): 25% de trabalhadores, atendimento individualizado, por ambiente (distanciamento de 4m entre clientes).
Petshop: 25% de trabalhadores, teleatendimento ou atendimento individual, sob agendamento tipo Pegue e leve.
Missas e serviços religiosos: ou máximo 30 pessoas ou 10% público.
Bancos, lotéricas e similares: 50% trabalhadores (ou normativa municipal).

 

Transportes

Transporte interurbano – 50% dos assentos da janela disponíveis.
Transporte coletivo – 50% da capacidade total do veículo. Nos seletivos, 50% dos assentos da janela.


Veja também:


30/09/2020 | 15h49min

» Cidade: Corede define três programas para a consulta popular 2020/2021

30/09/2020 | 15h48min

» Pandemia: Covid-19: Anvisa reduz exigências para análise de registro de vacinas

30/09/2020 | 15h41min

» Abastecimento: Corsan anuncia cortes e cobranças na tarifa social e forma de negociações


Comentários:


Voltar ao topo