No ar:

Ouvir!     

» Geral » Pecuária


01/10/2019 | 16h54min

Retorno do mormo coloca Estado em alerta.

Em setembro surgiram dois casos: em São Lourenço do Sul e Santo Antônio da Patrulha

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

Retorno do mormo coloca Estado em alerta. O primeiro caso foi em 2015. Deste ano até julho de 2017 foram 47 focos da doença no Rio Grande do Sul.

 

As atividades de vigilância e erradicação permitiram  que de julho de 2017 até o início de setembro de 2019 não fossem registradas ocorrências de mormo. Porém em setembro surgiram dois casos: em São Lourenço do Sul e Santo Antônio da Patrulha. Os animais positivos foram sacrificados.

 

A  médica veterinária, Renata Antocheves Stakowski da Inspetoria Veterinária de Santiago salienta que as atividades de controle e erradicação permanecem para que se evitem disseminações. Isso acaba por tardar a condição do status sanitário de livre do mormo no RS.

 

 Explica que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa  exige no mínimo três anos sem a ocorrência da doença. A possibilidade foi retardada, mas a vigilância continua para conquistar o status sanitário.

 

Os casos foram descobertos em setembro, tendo em vista os festejos farroupilhas, o que aumentou o número de exames nos cavalos.//


Veja também:


17/10/2019 | 17h05min

» : Tomam posse os novos membros da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

17/10/2019 | 09h38min

» Cidadania: Unidade do Taifa é reinaugurado no bairro Missões

17/10/2019 | 09h24min

» Saúde: Senado aprova obrigação de exame em 30 dias para diagnóstico de câncer


Comentários:


Voltar ao topo