No ar:
Clube do Ouvinte - Jorge Augusto Gonçalves    20h10min às 22h00min

Ouvir!     

» Geral » Segurança


04/04/2024 | 09h50min

Queda recorde de homicídios e roubos no RS

Em março, principais crimes atingiram os menores patamares desde 2010, quando os dados começaram a ser contabilizados

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

O acompanhamento diário das ocorrências para traçar estratégias de combate ao crime resultou em uma redução histórica dos homicídios em março. Em comparação com o mesmo período de 2023, a queda foi de 40%, passando de 172 crimes para 103.

 

O índice alcançado no principal indicador de criminalidade é o menor em comparação com qualquer outro mês desde o início da série histórica. Ao se considerar os recordes de baixas nos roubos a pedestres e de veículos, março pode ser considerado o mês mais seguro no Estado desde 2010, quando os dados começaram a ser mensurados.

 

O titular da Secretaria da Segurança Pública, Sandro Caron, reforça o compromisso das instituições da pasta para reduzir cada vez mais os indicadores de criminalidade.

 

“As ações integradas da Brigada Militar e da Polícia Civil têm sido essenciais para a redução dos crimes no Estado. Destaco o trabalho de cada homem e mulher da segurança pública para a obtenção dos resultados e reforço que vamos apertar ainda mais o cerco contra o crime organizado para reduzir os índices ainda mais”.

 

É o segundo mês consecutivo que o RS apresenta queda nos homicídios. Porto Alegre segue como grande destaque positivo, com 73% de redução em relação a março de 2023. Outros municípios apresentaram reduções expressivas, como Passo Fundo (64%) e Tramandaí (83%). Se forem considerados os 23 municípios abrangidos pelo programa RS Seguro, que foca naqueles mais populosos e estratégicos, a queda foi de 56%.

 

A queda expressiva dos homicídios em março resultou em uma redução do acumulado até o momento. O primeiro trimestre de 2024 teve 52 casos a menos do que o mesmo período de 2023, uma queda de 10%. No caso dos municípios do RS Seguro, a queda foi de 17%.

 

Outro crime contra a vida acompanhado com rigor pelas forças de segurança é o latrocínio (roubo seguido de morte). Em março, o indicador não teve variação estatística, tendo sido registrados seis casos tanto em 2023 e 2024. No trimestre, o índice teve redução de 31%. Foram 16 casos em 2023 contra 11 em 2024.

 

Redução da violência contra a mulher

 

Em comparação com o mesmo período do ano passado, os feminicídios tiveram uma queda expressiva de 70% em março. Enquanto em 2023 foram registrados 10 casos de morte de mulheres em razão de gênero, neste ano foram três. Nenhuma das vítimas estava sob medida protetiva de urgência.No trimestre, a redução foi de 19%, comparando os 26 registros de 2023 com as 21 ocorrências em 2024.

 

Reduções históricas nos crimes patrimoniais

 

Entre as prioridades das forças de segurança está a redução dos crimes patrimoniais. Roubos e furtos impactam diretamente na sensação de segurança e na qualidade de vida da população. Os principais índices avaliados têm apresentado quedas históricas.

 

Pela sétima vez consecutiva, o número de crimes de roubo a pedestre é o menor já registrado. Os 1.411 casos registrados em março significam uma redução de 44% em comparação com o mesmo mês em 2023.

 

Os roubos de veículos também registraram o menor total em relação a qualquer mês já registrado. Foram 211 casos contabilizados em março, uma redução de 48% em relação ao mesmo período de 2023. O trimestre também encerrou em queda. Enquanto no ano passado mais de mil veículos foram roubados, no primeiro trimestre de 2024 foram registrados 759 casos, uma queda de 37%.

 

Crimes no campo seguem em baixa em todo o Estado

 

A segurança para o agronegócio também é prioridade das autoridades, já que a atividade é uma das principais matrizes econômicas do Estado. Tanto o mês de março quanto o primeiro trimestre terminaram com quedas expressivas nos crimes de abigeato (furtos cometidos no campo). No mês, a redução foi de 29%. Desde janeiro, esse tipo de crime acumula queda de 26,5%.

 

Nos últimos anos, foram criadas as Delegacias de Polícia Especializadas na Repressão aos Crimes Rurais e de Abigeato (Decrab), cujo trabalho é realizado atualmente em quatro unidades regionais, e a Delegacia de Polícia Online do Agro (Agrodol). A Brigada Militar tem atuação permanente de policiamento e gestão em áreas rurais e de fronteira.


Veja também:


22/05/2024 | 10h29min

» : Números mais recentes das enchentes no RS desta quarta-feira

22/05/2024 | 09h53min

» : Cerca de 2 mil pessoas em 13 municípios recebem valores do pix nesta semana

22/05/2024 | 06h55min

» : Governo discute moradias para os afetados pelas chuvas com setor da construção civil


Comentários:


Voltar ao topo