No ar:

Ouvir!     

» Geral » Política


06/01/2019 | 10h41min

Projeto que proíbe casamento de menores de 16 anos pode ir à plenário no Senado

O PLC já foi aprovado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) e tem pedido de urgência

 Brasil é o quarto país no mundo com o maior número de casamentos infantis. Foto: Divulgação Brasil é o quarto país no mundo com o maior número de casamentos infantis. Foto: Divulgação

O projeto de lei que proíbe definitivamente o casamento de menores de 16 anos, que já foi aprovado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), tem pedido de urgência e está pronto para a análise do Plenário do Senado.

 

Atualmente, o casamento é permitido após a maioridade civil, que é de 18 anos, ou depois dos 16 anos, com a autorização dos pais. Segundo o Código Civil, para aqueles jovens que são menores de 16 anos, o casamento só é admitido se a adolescente estiver grávida ou para evitar imposição ou cumprimento de pena criminal, já que ter relações sexuais com menores de 14 anos é crime.

 

A senadora Marta Suplicy, que foi relatora na CCJ, destacou um estudo da ONG Promundo, que aponta que o Brasil é o quarto país no mundo com o maior número de casamentos infantis.

 

“Três milhões de brasileiras que afirmaram ter casado antes de completar dezoito anos de idade. Mais do que isso, ainda segundo o estudo, 877 mil mulheres brasileiras se casaram com até quinze anos de idade - infanticídio isso, né? - e existem no país, atualmente, cerca de 88 mil meninos e meninas, com idade entre dez e quatorze anos, em uniões consensuais, civis ou religiosas.”

 

Agora, como o projeto de lei tem pedido de urgência, está pronto para a análise do Plenário.

 

 


Veja também:


18/06/2019 | 10h36min

» Literatura: Pracinha de Brinquedos vai ganhar Biblioteca Infantil e Casa do Conto

18/06/2019 | 09h46min

» Polícia: Vítimas relatam novas tentativas de golpes via whatsapp

18/06/2019 | 09h25min

» Polícia: Bicicleta sem origem é localizada no centro de Santiago


Comentários:


Voltar ao topo