No ar:
Jornal falado - Jones Diniz e Paulo Pinheiro    12h15min às 12h50min

Ouvir!     

» Geral » Manifestação


13/11/2019 | 09h39min

Polícia Civil gaúcha paralisa dois dias

Paralisação começou às 8 horas da manhã de hoje (13) e se estenderá até às 18 horas do dia 14

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

Nesta quarta e quinta-feira (13 e 14) a Polícia Civil Gaúcha paralisa suas atividades em todo o Estado do RS em protesto ao Pacote do Governo do Estado que atinge toda a categoria principalmente na questão da aposentadoria policial e salários.  

 

Nesses dois dias, os policiais de todo o Estado irão conversar com a população, mostrando o que significa o pacote para a segurança pública gaúcha.

 

No dia 14, segundo dia de paralisação, será realizado na Capital do Estado um ato conjunto com todas as categorias do serviço público gaúcho.

 

A paralisação começou às 8 horas da manhã de hoje (13) e se estenderá até às 18 horas do dia 14.

 

No interior a orientação é que todos compareçam aos locais de trabalho e se concentrem na frente dos órgãos para dialogar e explicar à sociedade.

 

 Em Porto Alegre, a UGEIRM/Sindicato fará uma concentração em frente ao Palácio da Polícia durante todo o dia para receber a imprensa e prestar as informações sobre o movimento.

 

No dia 14 de novembro, a concentração ocorre em frente ao Palácio Piratini, as 13:30 onde haverá o ATO UNIFICADO DOS (AS) SERVIDORES (AS) PUBLICOS (AS).

 

A orientação é para que não haja circulação de viaturas policiais.

 

PLANTÃO:

 

Serão atendidas somente ocorrências policiais de Maria da Penha com pedido de medidas protetivas, crianças vítimas, homicídios, estupros, prisões e furto/roubo de veículos (não atender recuperação ou devolução de veículos).  Casos de prisão em flagrante somente iniciar o procedimento após análise criteriosa da autoridade policial.

 

INVESTIGAÇÃO:

 

Não deverão ser procedidas diligências externas como intimações, buscas e levantamento de locais.

 

CARTÓRIO:

 

Não proceder confecção de inquéritos e termos circunstanciados e nem remeter os feitos ao judiciário.

 

É fundamental manter o diálogo com a população, explicando os motivos do nosso movimento  É preciso mostrar que a nossa luta é por uma segurança de qualidade, com um serviço público que funcione. O principal objetivo da nossa paralisação é a garantia da segurança do povo gaúcho.


Veja também:


13/12/2019 | 11h14min

» Segurança: Brigada Militar de Unistalda recebe reconhecimento pelo serviço prestado a comunidade

13/12/2019 | 10h53min

» Empresa: Santiago inaugura Unidade GPSNet!

13/12/2019 | 10h22min

» Agenda: Trasferido o show "Bem Gaúcha", com Analise Severo


Comentários:


Voltar ao topo