No ar:
Essência Gaúcha - Marcelo Peronio    14h00min às 16h00min

Ouvir!     

» Geral » Segurança


29/10/2020 | 10h03min

PF e Receita Federal fazem operação contra lavagem de dinheiro, sonegação e corrupção

Em Porto Alegre, ordem judicial ocorreu em empresa pública federal de semicondutores. Ações acontecem em outros três Estados

A Polícia Federal, Receita Federal e Ministério Público Federal desencadearam na manhã desta quinta-feira as fases Macchiato e Silício da operação Descarte com execução de mandados judiciais no Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. No RS, a ação ocorreu em Porto Alegre, sendo cumprida ordem judicial em uma empresa pública federal de semicondutores que atua em projeto e fabricação de circuitos integrados e no pós-processamento de wafers, situada na estrada João de Oliveira Remião, no bairro Agronomia.

 

O objetivo é combater a sonegação e a lavagem de dinheiro em um grupo financeiro e na empresa de componentes eletrônicos. Estão sendo recolhidas provas adicionais relativas às operações fraudulentas utilizadas para esconder a ocorrência de sonegação fiscal, corrupção ativa e passiva, gestão fraudulenta de instituição financeira, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e associação criminosa.

 

Houve o cumprimento de 29 mandados de busca e apreensão em residências, empresas e escritórios dos investigados e de pessoas ligadas ao caso. A Justiça Federal acolheu também pedido para determinar o sequestro de cerca de R$ 100 milhões e ainda para afastar dois diretores da instituição financeira vítima. Além de Porto Alegre, as ordens judiciais foram executadas em São Paulo (SP), Santana de Parnaíba (SP), Vargem Grande Paulista (SP), Jaguariúna (SP), Belo Horizonte (MG), Nova Lima (MG), Machado (MG) e Rio de Janeiro (RJ).

 

A análise do material apreendido na primeira fase da operação Descarte, realizada em 1º de março de 2018, em conjunto com a realização de novas diligências, identificou que a organização criminosa montou sofisticados esquemas para sonegação tributária, crimes financeiros e lavagem de dinheiro. Ela teria atuado também em duas outras frentes: gerando recursos em espécie para um grupo financeiro e para a empresa pública federal de fabricação de semicondutores, alvos agora das investigações


Veja também:


04/12/2020 | 12h25min

» Economia: O gás de cozinha está mais caro

04/12/2020 | 11h51min

» Agenda: Casa do Artesão de Santiago e Projeto Taifa realizam a Feira Natalina!

04/12/2020 | 10h07min

» Segurança: Alunas criam cartilha sobre a violência contra a mulher


Comentários:


Voltar ao topo