No ar:

Ouvir!     

» Geral » Saúde


21/06/2019 | 09h22min

Obrigatório há 5 anos, teste da linguinha é alvo de disputa

Pediatras pedem fim da exigência; fonoaudiólogos defendem capacitação

Um teste físico simples, teste da linguinha, que verifica se o bebê recém-nascido tem ou não anquiloglossia - popularmente chamada de língua presa - é alvo de disputa entre profissionais. De um lado, pediatras acreditam que o exame físico feito após o parto é suficiente para identificar a anquiloglossia e pedem a revogação da lei que tornou o teste obrigatório. Do outro, fonoaudiólogos defendem uma capacitação para que quem examine a criança esteja atento também a isto. 

 

Hoje (20), considerado o Dia Nacional do Teste da Linguinha, faz cinco anos que a Lei 13.002/2014, que torna o exame obrigatório, foi aprovada no Brasil. 

 

De acordo com a conselheira da Comissão de Saúde do Conselho Federal de Fonoaudiologia, Mércia Quintino, cerca de 4% a 10,7% das crianças nascem com a língua presa. “O diagnóstico deve ser feito o mais cedo possível. A anquiloglossia leva a dificuldade na amamentação e, depois, dificuldade de mastigar alimentos sólidos, que são um desafio maior”, diz. 

 

Mércia explica que o objetivo inicial é evitar o desmame precoce. “A gente sabe que a amamentação é importante e que muitas mães não têm condições de comprar leites industrializados. A fase da amamentação parece simples, mas é um momento complicado para a família, tem que ter todo o incentivo positivo para que dê certo”, disse.

 

EBC


Veja também:


18/07/2019 | 16h46min

» Agenda: Bandeira do Brasil será tema da Semana da Pátria em Santiago. Ordem do desfile está pré-definida

18/07/2019 | 11h05min

» Solidariedade: Campanha do Agasalho de Santiago perto de 70 mil peças arrecadadas

18/07/2019 | 10h20min

» Saúde: Excesso de café aumenta chance de pressão alta em pessoas predispostas


Comentários:


Voltar ao topo