No ar:
Santiago Atualidade - Paulo Pinheiro    10h00min às 11h25min

Ouvir!     

» Geral » Meio Ambiente


28/11/2018 | 10h14min

Objetos descartáveis feitos de plástico podem ser proibidos em todo o Brasil

O cidadão também pode opinar sobre o assunto, em uma enquete do DataSenado, até o dia 02 de dezembro

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

Um projeto de lei do Senado pretende proibir a produção, importação, comercialização e distribuição, ainda que gratuita, de canudos e sacolas plásticas no Brasil.

 

Além disso, a proposta também proíbe a fabricação de produtos de higiene pessoal e cosméticos, tais como sabão, sabonete e pasta de dente, entre outros, que usam microplásticos como componentes.

 

No Rio de Janeiro, por exemplo, o uso de canudos plásticos em quiosques, bares e restaurantes já foi banido. Isto porque foi sancionado um projeto de lei que proíbe a distribuição de canudinhos plásticos em estabelecimentos alimentícios.

 

De acordo com o professor do curso de Gestão Ambiental da USP, André Felipe Simões, o grande problema dos microplásticos é o tempo que eles levam para se decompor.

 

“O tempo de decomposição de microplásticos, baseados em combustíveis fósseis, demora cerca de 300 anos. Está havendo um acumulo nos oceanos e nos rios do planeta muito grande de microplásticos. E isso pode acabar chegando a causar graves problemas à saúde humana. Mas, o mais interessante que se preocupar só com a espécie humana, é se preocupar só com a integralidade da vida na Terra.”

 

Segundo André Felipe Simões, é preciso criar uma nova consciência nas pessoas.

 

“As pessoas têm que ter uma cidadania ambiental mais intensa. Não adianta só leis. Leis são muito bem vindas, mas não pode servir para hipocrisia, para o chamado greenwashing. Paralelamente, é necessário que haja uma mudança de conscientização. A gente tem que criar uma nova consciência nas pessoas.”

 

Esta proposta que visa proibir a produção, importação, comercialização e distribuição de microplásticos teve origem em uma sugestão legislativa, que foi encaminhada ao programa e-Cidadania do Senado e, agora, o cidadão também pode opinar sobre o assunto até o dia 02 de dezembro.


Veja também:


09/12/2018 | 13h05min

» Cidade: Prefeitura de Santiago fará leilão de bens no próximo dia 20 de dezembro

09/12/2018 | 10h47min

» Tradicionalismo: 10ª Região Tradicionalista terá novamente o comando de Olacides Fortes da Silveira

09/12/2018 | 10h44min

» Loteria: Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 36 milhões


Comentários:


Voltar ao topo