No ar:

Ouvir!     

» Geral » Trânsito


18/02/2019 | 16h51min

Motoristas têm trinta dias para se adaptarem às novas mudanças no trânsito

Secretário de Obras e Viação, Haroldo Pouey conclama a todos que prestem atenção às placas de sinalização existente em todos os locais

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

Os motoristas têm trinta dias para se adaptarem às novas mudanças no trânsito. Durante este período, a Guarda Municipal não irá autuar quem, por descuido, trafegar na contra mão de direção.

 

Mas o secretário de Obras e Viação, Haroldo Pouey alertou que o condutor que vier provocar algum acidente não estará imune a sua responsabilidade, durante este tempo.

 

 Chamou atenção de todos para que prestem atenção às placas de sinalização existente em todos os locais. As mudanças passaram a valer desde o último domingo, e alguns condutores chegaram a trafegar na contra mão na Rua Tito Becon.

 

  Além da instituição de mão única, os motoristas que trafegarem pela Júlio de Castilhos não poderão mais acessar à direita. A opção é seguir em frente, ou dobrar à esquerda, na sinaleira próxima do Sindicato Rural.

 

 Somente quem vier pela Getúlio Vargas poderá dobrar à direita. A sinalização de pista está bastante clara aos motoristas.

 

Em relação ao entroncamento da Osvaldo Aranha, com a Júlio e Sete de Setembro, o secretário Haroldo disse que a administração já está tratando do assunto. E uma das primeiras providências é o asfaltamento da Rua Pinheiro Machado em direção ao Bairro João Evangelista, cujos recursos já estão assegurados.

 

 O sentido do tráfego está valendo em trechos das ruas Getúlio Vargas, General Neto, Tito Beccon, 13 de Maio, Neri Gomes Peixoto e na Flores da Cunha.


Veja também:


21/09/2019 | 14h58min

» Oportunidade: Projeto Taifa inicia curso de corte e costura com palestra do empresário Osvaldo Nicola

21/09/2019 | 14h56min

» Saúde: Secretaria de Saúde implantará melhorias nos serviços de saúde mental

21/09/2019 | 14h54min

» Política: Deputados querem mudar Lei da Informática para atender demandas da Organização Mundial do Comércio


Comentários:


Voltar ao topo