No ar:
Plantão Gaúcha - Rede Gaúcha Sat    22h00min às 23h59min

Ouvir!     

» Geral » Economia


28/09/2020 | 16h57min

Governo anuncia Renda Cidadã, com recursos de precatórios e do Fundeb

Novo programa substituirá o auxílio emergencial e o Bolsa Família

Foto: Alan Santos/PR/DivulgaçãoFoto: Alan Santos/PR/Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta segunda (28) o Renda Cidadã, novo programa de transferência de renda do governo, que substituirá o auxílio emergencial e o Bolsa Família. Para financiar o programa, a proposta é usar os recursos de pagamento de precatórios e parte do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Os precatórios são títulos da dívida pública reconhecidos após decisão definitiva da Justiça.

 

“Estamos buscando recursos com responsabilidade fiscal e respeitando a lei do teto de gastos. Nós queremos demonstrar à sociedade e ao investidor que o Brasil é um país confiável”, disse o presidente, em declaração à imprensa após reunião com ministros de Estado e líderes partidários, realizada na manhã desta segunda-feira, no Palácio da Alvorada.

 

O senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo, explicou que as propostas das duas fontes de renda serão apresentadas tanto na PEC do Pacto Federativo, quanto na PEC Emergencial, que tratam da desindexação dos gastos públicos.

 

“O Brasil tem no Orçamento R$ 55 bilhões para pagar de precatórios e vamos utilizar o limite de 2% das receitas correntes líquidas, que é mais ou menos o que já fazem estados e municípios. Vamos estabelecer a mesma coisa para o governo federal. E o que sobrar desse recurso, juntando com o que tem no orçamento do Bolsa Família, vai criar e patrocinar o novo programa”, explicou Bittar.

 

Além disso, será proposto que o governo federal também possa utilizar até 5% dos recursos Fundeb, segundo o senador, “também para ajudar essa família que estarão no programa a manterem seus filhos na escola”. O Fundeb foi promulgado no mês passado e amplia de 10% para 23% a participação da União no financiamento da educação básica.


Veja também:


21/10/2020 | 15h09min

» Pandemia: Santiago registra mais 14 casos de covid-19 nesta quarta-feira, e dois óbitos

21/10/2020 | 13h40min

» Meio Ambiente: Cuidado com a lotação dos contêineres é preocupação constante em Santiago

21/10/2020 | 13h21min

» Oportunidade: Aberto o processo seletivo de estagiários para a Promotoria Pública de Santiago


Comentários:


Voltar ao topo