No ar:
Santiago Atualidade - Paulo Pinheiro    10h00min às 11h25min

Ouvir!     

» Geral » Clima


09/03/2020 | 16h21min

Estiagem pode provocar perdas de até 150 milhões em Santiago

Laudo da Emater aponta que já existem prejuízos no milho, soja, horticultura e bovinos

Gado sofre com a pastagem seca. Foto: Ieda BeltrãoGado sofre com a pastagem seca. Foto: Ieda Beltrão

A estiagem é sentida em todo o Rio Grande do Sul, e em Santiago e região não é diferente, tanto que o município, a exemplo outros já decretou situação de emergência. 

 

De acordo com o recente laudo da Emater, as perdas podem chegar a R$ 150 milhões, o que segundo o prefeito Tiago Gorski, representa quase que o orçamento do município.  "É o equivalente ao orçamento do município durante um ano inteiro. É terrível pros nossos produtores, para a nossa economia", preocupou-se o prefeito. 

 

A Secretaria de Agricultura tem trabalhado muito para atender as famílias do interior em suas necessidades, levando a água para consumo. Mas o problema maior está na falta de chuva que afeta toda a produção.

 

As maiores perdas são na cultura de milho, com perda de 60% da área plantada (prejuízo de 5 milhões e 400 mil); soja, com perda de 50% (prejuízo de R$ 102 milhões); bovinos, perda de 15% (prejuízo de R$ 36 milhões) e horticultura, perdas de 20% e prejuízo de R$ 200 mil. Há também perdas não estimadas na pisicultura. Para que os prejuízos não aumentem ainda mais, os produtores estão no aguardo de uma ajuda que só pode vir do céu. Em forma de chuva.

 

Uma lavoura de soja - por exemplo -  custa, no mínimo, de 40 a 45 sacos por hectare, principalmente, ao arrendatário; se for proprietário um pouco menos. Diante do atual quadro de perdas se não houver reservas as dificuldades vão aumentar para a nova safra.

 

CINCO SAFRAS EXCELENTES

 

O empresário Luiz Felipe Minozzo, diretor da Agrosolo, destacou em entrevista à Rádio Santiago que existem atualmente duas preocupações prementes em relação a soja: a qualidade da semente, decorrente de uma safra ruim e a dificuldade financeira que o agricultor vai ter para a manutenção da lavoura. 

 

A seca na agricultura é um processo já instalado. Recorda que Santiago vem de cinco safras com excelentes resultados e tem gente que já havia esquecido de como enfrentar uma situação como a atual. 

 

O empresário ressaltou que 2020 será um ano difícil pela quebra da safra, pois queira ou não irá impactar em toda a economia, diminuindo a circulação de dinheiro e investimentos.

 

SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

 

A estiagem vai trazer reflexos negativos para todo o estado . Assim como outros municípios Santiago decretou situação de emergência.

 

Ao se referir sobre isso a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Lérida Pavanelo disse que tal procedimento também está sendo tratado junto aos demais municípios da região. Quando se tem o decreto de emergência, a possibilidade é maior para negociar as dividas junto ao governo. 

 

Lérida aproveitou para reforçar o convite da Secretaria de Agricultura para ações emergências visando a demanda de água nas comunidades do interior, tanto para o consumo humano como para animal.

 

A primeira reunião ocorreu sábado no clube Canarinho de Bom Retiro; nesta terça será no Clube da Vila Branca, no mesmo horário.

 

 Nos encontros estão sendo divulgados os critérios de atendimento às comunidades.

 


Veja também:


07/04/2020 | 09h59min

» Saúde: INSS antecipa pagamento de um salário mínimo de auxílio-doença

07/04/2020 | 09h56min

» Internacional: Pela 1ª vez desde janeiro, China não registra mortes por covid-19

07/04/2020 | 09h50min

» Saúde: Cerca de 600 mil trabalhadores já se cadastraram para receber auxílio


Comentários:


Voltar ao topo