No ar:

Ouvir!     

» Geral » Estudo


29/04/2019 | 15h37min

Estádio Alceu Carvalho em Santiago é fonte de estudo

A variabilidade espacial da fertilidade do solo foi analisada por estudantes e professor do curso de Agronomia

Foto: Divulgação/Uri SantiagoFoto: Divulgação/Uri Santiago

O objetivo do estudo foi avaliar a variabilidade espacial da fertilidade do solo no gramado do Cruzeiro Esporte Clube, com o intuito de gerar prognósticos de manejo para melhorias no gramado. O desenvolvimento dos trabalhos é fruto da iniciação científica sob orientação do professor Júlio Cesar Wincher Soares. Contribuíram durante o trabalho, os estudantes de Agronomia: Matheus Ribeiro Gorski, Pedro Maurício Santos dos Santos, Vitória Coimbra e Thaynan Hentz de Lima.

 

As ações resultantes desta pesquisa podem servir como referencial para o manejo dos gramados de futebol do Brasil, e está sendo conduzida também no campo de futebol do Câmpus de Santiago. Conforme o estudante do curso de Agronomia Daniel Nunes Krum, a estudo foi muito prazeroso:

 

“Conseguimos unir uma paixão nacional que é o futebol com outra paixão, que é a Ciência do Solo”. Para o estudante Lucas Nascimento Brum, existem pouquíssimos estudos sobre a fertilidade do solo de gramados de futebol, e “a realização da pesquisa insere os estudantes em um pequeno grupo de profissionais com este conhecimento”.

 

A URI Santiago forneceu todo o suporte para a pesquisa, pois conta com laboratórios completos e de última geração para as atividades de ensino, pesquisa e extensão.

 

SOBRE O ESTUDO

 

A pesquisa foi conduzida em um gramado de futebol com dimensões de 100m x 70m do Estádio Alceu Carvalho, pertencente ao Cruzeiro Esporte Clube, no município de Santiago - RS. Foram realizadas as coletas de solo, na profundidade de 0,0 - 0,2 m. Para a localização dos pontos amostrais foi empregado um par de receptores GNSS (Sistema Global de Navegação por Satélite), com dupla frequência (L1/L2) e disponibilidade de correção em tempo real (RTK), utilizando o datum horizontal SIRGAS2000. Nos pontos amostrais, foram coletadas amostras deformadas de solo e também foi realizado o ensaio de profundidade do solo e de resistência mecânica à penetração das raízes (RP), com penetrômetro digital.

 

Nos laboratórios de física e de química do solo do curso de Agronomia, determinaram-se as seguintes propriedades: granulometria, fósforo (P), potássio (K), cálcio (Ca), magnésio (Mg), alumínio (Al), capacidade de troca de cátions (CTC), soma de bases (SB), saturação por alumínio (m%) e saturação por bases (V%). Para a caracterização espacial foram gerados mapas temáticos das diferentes propriedades do solo, utilizando o Sistema de Informações Geográficas (SIG) ArcGIS 10.5.1, no Laboratório de Topografia, Geodesia e Geotecnologias. Foi verificada a necessidade de correção da acidez do solo (calcário), de suplementação mineral com a prática de adubação (NPK e Uréia) e de descompactação do solo. Observou-se também, a pequena profundidade do solo, demandando um maior número de irrigações.


Veja também:


21/07/2019 | 13h40min

» Agricultura: Trigo tem plantio finalizado na maior parte das regiões do Rio Grande do Sul

21/07/2019 | 13h25min

» Trânsito: Infrações de ultrapassagem e de velocidade estão entre as principais ocorrências registradas pela PRF

21/07/2019 | 13h09min

» Saúde: Estudo revela que 80% de diabéticos podem ter doenças cardiovasculares


Comentários:


Voltar ao topo