No ar:

Ouvir!     

» Geral » Brumadinho


29/01/2019 | 17h20min

Defesa Civil de MG acompanha situação de animais vítimas de tragédia

Os animais resgatados com vida, segundo o órgão, estão sendo encaminhados para um sítio próximo ao local

A Defesa Civil de Minas Gerais informou nesta terça (29) que acompanha, junto a outros órgãos das esferas estadual e federal, a situação de animais vítimas do rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho. Os animais resgatados com vida, segundo o órgão, estão sendo encaminhados para um sítio próximo ao local, onde recebem tratamento, alimentação, medicamentos e aporte necessário por uma equipe de veterinários.

 

Por meio de nota, a Defesa Civil do estado destacou que há animais vivos que permanecem no local do rompimento da barragem e que eles estão recebendo alimentação, água e cuidados até que seja possível resgatá-los. “Contudo, existem animais que não reúnem condições para resgate com vida em decorrência do estado e características do local do desastre. Para esses casos, uma equipe de veterinários está apta a realizar a eutanásia por meio de injeção letal”.

 

Ainda de acordo com o comunicado, o procedimento de eutanásia tem sido realizado apenas por médicos veterinários em casos considerados extremos, quando constatado que as condições de bem-estar e saúde dos animais encontram-se irreversivelmente comprometidas e sem possibilidade de recuperação.

 

“Cabe ressaltar que, em nenhum momento, houve autorização por parte do Gabinete Militar do Governador/Coordenadoria Estadual de Defesa Civil para o abate de animais aleatoriamente ou por meio de métodos em desacordo com as normas”, concluiu a nota.


Veja também:


24/04/2019 | 12h18min

» Economia: Quatro em cada dez brasileiros recorreram ao cartão de crédito em fevereiro para fazer compras

24/04/2019 | 12h10min

» Justiça: Robô com inteligência artificial vai auxiliar no combate à violência contra a mulher

24/04/2019 | 12h03min

» Oportunidade: Tem 20 vagas de encarregado de equipe no Sine Santiago


Comentários:


Voltar ao topo