No ar:

Ouvir!     

» Geral » Pandemia


05/03/2021 | 18h47min

Confirmada bandeira preta até 21 de março em todo o Rio Grande do Sul

Cogestão no modelo de Distanciamento Controlado permanece suspenso por mais duas semanas e será retomado em 22 de março

Imagem: DivulgaçãoImagem: Divulgação

Como já era esperado, o governador Eduardo Leite manteve  a bandeira preta em todo o estado por pelo menos mais duas semanas. Diante dos níveis críticos de ocupação de leitos e velocidade de propagação do coronavírus, Leite anunciou que todas as regiões serão mantidas em bandeira preta e sem cogestão regional pelo menos até dia 21 de março. A suspensão geral de atividades não essenciais, entre 20h e 5h, ficará vigente até 31 de março para reduzir a circulação de pessoas e, com isso, a circulação do vírus.

 

“Estamos numa situação muito crítica e que piora a cada dia. Mesmo com os esforços de ampliação de leitos, a velocidade de propagação do vírus e a velocidade do aumento das internações hospitalares é enorme, muito maior do que tivemos nos momentos críticos do ano passado. Em cada um dos picos de julho e novembro, chegamos a 2,6 mil pacientes internados em leitos clínicos e de UTI. Agora, temos mais de 7,2 mil

 

A alta taxa de internações é agravada pela velocidade cinco vezes superior na variação diária de hospitalizações: se antes cerca de 60 leitos eram ocupados por dia, agora, são, em média, 350 pacientes a mais diariamente. Como essa variação (diferença entre número de pacientes que entraram e saíram de internações), que começou na metade de fevereiro e segue aumentando, significa que o pico ainda não foi alcançado e que, mesmo depois de alcançá-lo, ainda haverá maior demanda por leitos.

 

Cogestão

 

Eduardo Leite, também disse que aos prefeitos  que o manter a cogestão suspensa até o dia 22, o que impede municípios de seguirem regras de bandeiras menos restritivas no programa de distanciamento controlado. A colunista Kelly Matos noticiou que a bandeira preta será mantida no Rio Grande do Sul. Portanto, o comércio não essencial seguirá fechado para clientes, podendo vender apenas por canais digitais e fazendo delivery dos produtos. 

 

Com base nos dados e no diálogo com prefeitos representantes das 27 associações regionais de municípios e a diretoria da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), o Gabinete de Crise decidiu dar uma previsibilidade para a retomada da cogestão e, consequentemente, para que setores sob maior restrição agora possam voltar a operar.

 

“O que queremos é apresentar uma perspectiva para que possam se organizar, quanto ao tempo em que ficarão parados e que, assim, nos ajudem com a adesão aos protocolos agora. Nossa intenção é que, oferecendo uma luz no fim do túnel, possamos promover melhor engajamento, reduzindo a contestação de determinados segmentos empresariais em função da falta de perspectiva”, esclareceu Leite.

 

“Com isso, estamos sinalizando a possibilidade de retomar a cogestão no dia 22 de março desde agora, desde que a gente consiga agora cumprir as restrições, reduzir a circulação de pessoas e, assim, a propagação do vírus, que é a única forma de conter o avanço da pandemia até que consigamos vacinar a população”, acrescentou.

 

• Clique aqui e acesse arquivo com os dados apresentados pelo governador Leite durante a transmissão.

 

Com o possível retorno da cogestão e de os municípios adotarem protocolos menos restritivos, até o limite da bandeira imediatamente anterior, o Gabinete de Crise já anunciou que deverá tornar mais rigorosos alguns protocolos. A medida é pensada considerando que as regiões ainda deverão estar com risco altíssimo (bandeira preta) e, com a cogestão, poderiam adotar protocolos de bandeira vermelha.

 

“Não podemos sair da bandeira preta direto para o que a bandeira vermelha propõe, porque ainda estaremos em risco altíssimo de contágio e internações. Por isso, além de revisar os protocolos da bandeira vermelha, tornando algumas medidas possivelmente mais restritivas, devemos manter a suspensão geral das atividades das 20h às 5h até o dia 31 de março. Isso é um horizonte, de modo a aumentar a adesão agora”, apontou o governador.

 

Além disso, Leite anunciou que determinou à Secretaria da Fazenda (Sefaz) para analisar as possibilidades que o Estado tem para apoiar os empreendedores mas impactados pelas restrições, principalmente quanto às obrigações tributárias.


Veja também:


16/04/2021 | 10h17min

» Saúde: Banco de sangue segue solicitando voluntários para doar um pouco de vida a quem está em tratamento de saúde

16/04/2021 | 09h23min

» Pandemia: Com mais 2.275 doses, santiaguenses de 62 anos serão vacinados

15/04/2021 | 18h32min

» Trânsito: Acidente no centro de Santiago envolve três carros


Comentários:


Voltar ao topo