No ar:
Clube do Ouvinte - Jorge Augusto Gonçalves    20h10min às 22h00min

Ouvir!     

» Geral » Economia


07/09/2021 | 10h45min

Bancos se preparam para as novas medidas de segurança do Pix

Limite nas transferências noturnas, por exemplo, para frear golpes, fraudes e ações de criminosos, ainda não está em vigor

A novas medidas de segurança do Pix, meio de pagamento digital, para frear ação de criminosos em fraudes, golpes e sequestro-relâmpago, ainda não entraram em vigor. Uma delas é o limite de R$ 1 mil nas transferências noturnas, entre 20h e 6h. Além do Pix, o limite também será aplicado em outras transferências, em compras pelo cartão de débito e em TEDs. 

 

O anúncio das medidas foi feito pelo Banco Central no dia 27 de agosto. Segundo a Febraban (Federação Brasileira de Bancos), ainda não há uma data prevista para as regras entrarem em vigor, porque as instituições financeiras ainda estão se preparando para colocá-las em prática. 

 

"Após o detalhamento das novas regras de segurança do Pix via normativo do Banco Central, as instituições financeiras irão se preparar tecnicamente para a implementação", afirmou a Febraban em nota.

 

As mudanças também preveem um prazo mínimo de 24 horas e máximo de 48 horas para a efetivação de pedido do usuário, feito por canal digital, para aumento de limites de transações com meios de pagamento (TED, DOC, transferências intrabancárias, Pix, boleto, e cartão de débito), impedindo o aumento imediato em situação de risco. 

 

Segundo o Banco Central, os bancos vão oferecer aos clientes a opção de estabelecer limites transacionais diferentes no Pix para os períodos diurno e noturno, permitindo limites menores durante a noite.


Veja também:


18/10/2021 | 17h12min

» Saúde: Ministério da Saúde distribui primeiro lote de Pfizer para adolescentes sem comorbidades

18/10/2021 | 16h57min

» Meio Ambiente: Cras Vó Ângela envolve usuários na produção de verduras em sua Horta Comunitária

18/10/2021 | 16h55min

» Meio Ambiente: Nesta quarta vai ter coleta de pneus em Santiago


Comentários:


Voltar ao topo