No ar:
A Voz do Brasil - EBC Serviços    19h00min às 20h00min

Ouvir!     

» Geral » Segurança


04/12/2020 | 10h07min

Alunas criam cartilha sobre a violência contra a mulher

Acadêmicas destacam que a sororidade deve ser exercida em momentos de vulnerabilidade

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

Vamos falar sobre violência doméstica e familiar? Essa é a pergunta que abre a cartilha sobre os 16 dias de ativismo em Eliminação da Violência contra a Mulher, criada por alunas de Psicologia da URI Santiago.  

 

No material, elas falam sobre o ciclo da violência e reforçam para a importância da denúncia (pelo 180 ou 190), pois com o tempo o ciclo se intensifica e as agressões ficam mais violentas. A cartilha também traz as formas de violências contra as mulheres.

 

O material é uma organização das acadêmicas Priscila Roliano, Paula Medeiros, Jordana Gindri e Tarciane Quadros, tendo a supervisão da professora Fernanda Belle Barichello. A Polícia Civil, por meio da Sala das Margaridas, é colaboradora.

 

As quatro estudantes fazem estágio na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento de Santiago e Sala das Margaridas. Juntas, elas questionam e buscam formas de enfrentar e acolher as vítimas de violência doméstica e familiar.

 

“Você já deve ter se deparado com uma cena de violência e levantado aquela frase: em briga de marido e mulher não se mete a colher, porém convidamos você a fazer uma reflexão, meter ou não a colher em uma briga doméstica pode definir se essa mulher vive ou entra para mais um dos números de estatística de feminicídio”, dizem as alunas.

 

 LEIA A CARTILHA

 


Veja também:


18/01/2021 | 17h26min

» Agricultura: Análises garantem padrões de qualidade para o vinho produzido na região

18/01/2021 | 16h37min

» Educação: 26 formandos (as) colam grau em Arquitetura e Urbanismo

18/01/2021 | 16h30min

» Economia: Litro da gasolina sobe R$ 0,15 nas refinarias da Petrobras


Comentários:


Voltar ao topo