No ar:
Clube do Ouvinte - Jorge Augusto Gonçalves    20h10min às 22h00min

Ouvir!     

» Vida / Estilo » Beleza


11/02/2018 | 13h26min

Cabelos cheios e compridos: Mega hair pode durar até um ano e meio

anny Mota, que atende famosas como Lexa e a ex-BBB Mayara Motti, explica quem pode colocar a extensão

 Segundo Janny, as manutenções variam, entre 40, 60 e até 90 dias. Fotos: Divulgação Segundo Janny, as manutenções variam, entre 40, 60 e até 90 dias. Fotos: Divulgação

Quer ser dona de cabelos longos e/ou cheios, mas não tem paciência para esperar ou não consegue naturalmente? O caminho pode ser colocar mega hair. A cabelereira Janny Mota, do Vip Space, atende famosas como Lexa e a ex-BBB Mayara e explica que qualquer pessoa pode fazer o procedimento.

 

“Qualquer pessoa pode usar, indicamos a melhor técnica para cada tipo de cabelo, e fazemos a cor respeitando a textura de cada um”, disse a profissional, que só trabalha com fios naturais.

 

Segundo Janny, as manutenções variam, entre 40, 60 e até 90 dias e está sujeita ao crescimento e oleosidade dos fios e pode durar vários meses: “Dependendo da textura e cuidados os fios colocados duram de 8 meses a 1 ano e meio”.

 

Quem pensa que o procedimento é indicado apenas para quem quer alongar os fios está enganado. Quem quer os cabelos cheios também pode colocar mega hair.

 

No salão da profissional, existe técnicas de extensão do cabelo que demoram apenas 30 minutos para ficarem prontas. Outras podem demorar duas horas.

 

Depois de colocado os fios, a vida segue normalmente. Pode ir na praia, piscina e fazer outras atividades sem retirar a extensão.

 

“Em casa devem ter o devido cuidado de lavar, hidratar e secar. De resto, vida normal”, finalizou a cabeleireira.

 

 


Veja também:


19/06/2018 | 13h30min

» Nutrição: Dieta da chia elimina três quilos em 15 dias

15/06/2018 | 13h07min

» #ficaadica: Dicas para manter o peso durante os jogos do mundial

13/06/2018 | 10h40min

» Receita caseira: Chá de bergamoteira para melhorar o humor e acalmar


Comentários:


Voltar ao topo