No ar:
Santiago Atualidade - Paulo Pinheiro    10h00min às 11h45min

Ouvir!     

» Geral » Centro Ictiológico


20/10/2017 | 12h25min

URI-Santiago conta com trabalho voltado a peixes

De acordo com o coordenador, professor Olmiro Bochi Brum, apesar de a ictiologia servir para identificar as espécies

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

A URI-Santiago conta com o Centro Ictiológico  que tem como meta principal alavancar todos os trabalhos voltados a peixes. De acordo com o coordenador, professor Olmiro Bochi Brum, apesar de a ictiologia servir para identificar as espécies,  o centro alargou seus horizontes trabalhando com vários organismos aquáticos.

 

Existem  várias linhas básicas de ação, entre elas  a pesquisa;  a de assessoria básica aos produtores rurais que queiram trabalhar com a piscicultura e a   meio ambiente ( inclusive com vários problemas em rios e arroios, com alta mortalidade de peixes). Olmiro destaca que recentemente foi aprovado em primeiro lugar  do polo tecnológico e  o 17º no estado que  vai  proporcionar um aporte significativo de recursos, através da Secretaria de Ciência e Tecnologia, possibilitando que o Centro Ictiológico trabalhe na criação de peixes usando novas  tecnologias,  cujo acesso será disponibilizado aos produtores interessados.

 

Atualmente estão sendo executados os projetos filtrantes, visando melhor a qualidade  e o reuso da água; tanques de piscicultura./ Olmiro Bochi  salientou que no ano passado foi prestada assessoria à Emater por causa da mortalidade de peixes.

 

  A comunidade em geral que queira conhecer, outros organismos aquáticos  como cavalo marinho e ouriço do mar, por exemplo, pode agendar visita na URI, inclusive escolas de toda a região.

 


Veja também:


23/02/2018 | 16h30min

» Imagem: Como seria se a antiga Igreja Matriz ainda estivesse em seu lugar, no centro de Santiago?

23/02/2018 | 15h34min

» Exército: Capelão militar, capitão Ivanaldo Ferreira dos Santos, se despede

23/02/2018 | 15h32min

» Exército: 1ª Bda C Mec comemora 96 anos de criação e 73 anos da Tomada de Monte Castelo


Comentários:


Voltar ao topo