No ar:
Santiago Atualidade - Paulo Pinheiro    10h00min às 11h25min

Ouvir!     

» Geral » Trânsito


23/07/2018 | 17h55min

Ultrapassagem em local proibido provoca acidente com lesões graves em Jaguari

No local a PRF identificou 25 metros de arrasto dos pneus antes da colisão frontal entre os veículos

Fotos: Divulgação/PRFFotos: Divulgação/PRF

Mais uma imprudência de um motorista fez com que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) fosse acionada no início da tarde desta segunda-feira, 23, para descolar a localidade de Cerro Branco, em Jaguri, no km 367 da BR 287, onde uma manobra irregular provocou uma colisão frontal entre dois veículos.

 

A equipe PRF verificou que o condutor de um veículo VW Gol, com placas de São Vicente do Sul, que deslocava em direção a Jaguari, realizou uma ultrapassagem em local proibido, em uma curva, porém deparou-se com uma caminhoneta Fiat/Toro, de Itaqui, que deslocava no sentido contrário.

 

Na tentativa de evitar a colisão, o condutor da caminhoneta, de 33 anos, tentou desviar para o acostamento, porém o condutor infrator, de 37 anos, também deslocou o veículo para o acostamento esquerdo, onde colidiram frontalmente. Com o impacto, além do condutor do VW Gol, de 37 anos, e os passageiros de 61, 39 e 12 anos, todos de Jaguari, sofreram lesões graves e foram encaminhados aos hospitais de Santiago e de Jaguari pelas equipes do SAMU e Corpo de Bombeiros. Na caminhoneta haviam quatro pessoas, residentes em Maçambará, sendo que apenas uma das passageiras sofreu lesões leves.

 

Durante o atendimento a PRF verificou que o veículo Gol teve um arrasto dos pneus de 25 metros antes do ponto da colisão. Os veículos foram removidos e ficarão a disposição da perícia.

 


Veja também:


15/10/2018 | 09h46min

» Economia: Nesta terça: selo Fiscal vai reconhecer as empresas que lideram o desenvolvimento

15/10/2018 | 09h12min

» Economia: Apenas 31% dos brasileiros são consumidores conscientes, revela pesquisa CNDL/SPC Brasil

15/10/2018 | 09h09min

» Educação: Receita Federal paga o quinto lote de restituições do IR


Comentários:


Voltar ao topo