No ar:

Ouvir!     

» Geral » Economia


06/02/2018 | 10h57min

Três em cada dez usuários de cartão de crédito não pagaram valor integral da fatura em dezembro, mostram SPC Brasil e CNDL

44% dos usuários de cartão notaram aumento da fatura ao fim de 2017, que em média, chegou a R$ 966

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

O cartão de crédito pode ser um aliado dos consumidores que não podem pagar por um bem à vista, mas dependendo do seu uso, também pode pode provocar desequilibrios financeiros. Dados do Indicador de Uso do Crédito apurados pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) revelam que em cada dez usuários de cartões de crédito, três (28%) não pagaram a fatura integral no último mês de dezembro, sendo que 15% entraram no crédito rotativo. Os entrevistados que pagaram a fatura cheia somam 68% da amostra e 3% não quiseram responder.



Os juros cobrados pelos bancos quando o cliente não paga o valor integral da fatura do cartão de crédito são altos e chegam a 335% ao ano, em média, segundo dados oficiais do Banco Central.



“As taxas do rotativo superam em mais de dez vezes as taxas médias de um crédito consignado. Pelas novas regras do cartão, o consumidor pode ficar no máximo um mês no rotativo. Depois disso, o saldo é parcelado a uma taxa de juros menor. Mesmo assim, os juros continuam altos, de modo que o consumidor não deve contar com o pagamento de um valor abaixo do integral. Ainda que seja possível, isso custa caro, inclusive com o parcelamento”, alerta a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.



46% dos brasileiros utilizaram alguma modalidade de crédito em dezembro. Indicador de Uso do Crédito salta de 23,7 pontos para 31,0 pontos na escala



De acordo com o levantamento, no último mês de dezembro, 46% dos brasileiros recorreram a alguma modalidade de crédito, sendo que o cartão de crédito foi o mais comum, com 37% de menções. Em seguida, aparecem o crediário ou carnê, com 17% de utilização, cheque especial (9%), empréstimos (9%) e financiamentos (8%). Os que não se utilizaram de nenhuma modalidade somam 54% dos consumidores.


Veja também:


12/12/2018 | 13h00min

» Trânsito: Ônibus com estudantes em excursão escolar sofre acidente na BR 472

12/12/2018 | 09h59min

» Tráfico: Adolescente de 15 anos é apreendido com cocaína e balança de precisão

12/12/2018 | 09h19min

» Agenda: Uri Santiago: Pós-Graduação em Inovação e Metodologias Ativas


Comentários:


Voltar ao topo