No ar:
Olho Vivo - Jones Diniz    08h10min às 09h55min

Ouvir!     

» Geral » Serviço


19/03/2018 | 15h44min

Telefonia celular e fixa continuam liderando as queixas formalizadas no Procon de Santiago

Em seguida vem os cartões de crédito, TV por assinatura, bancos, financeiras e aparelhos celulares com problemas

90% das reclamações tem soluções diretas. Foto: Ieda Beltrão90% das reclamações tem soluções diretas. Foto: Ieda Beltrão

O Procon é um órgão bem atuante em Santiago e região. A movimentação é grande praticamente todos os dias da semana em seu horário de atendimento das 08 às 12 e das 13h30min às 17h30min.

 

De acordo com a coordenadora, Livia Nascimento de Oliveira, a média de atendimento fica ente 10 e 12 pessoas por dia que levam suas reclamações até o órgão.

 

 A telefonia celular e fixa continuam liderando as queixas formalizadas; em seguida vem os cartões de crédito, TV por assinatura, bancos, financeiras e aparelhos celulares com problemas.

 

Livia observa que os consumidores, reclamam contratações de serviços indevidas, valor maior do que o contratado, para o caso das TVs por assinatura e defeitos em aparelhos, celulares, tablete e computadores.

 

A coordenadora do Procon de Santiago observa que a maioria dos casos são resolvidos através das ouvidorias direto com as empresas. Salienta que 90% das reclamações tem soluções diretas, e muito pouco se tem mandado para a justiça local.

 

Geralmente o consumidor sempre precisa procurar a empresa, antes do Procon, sempre dentro do prazo de validade do produto.

 

O Procon funciona junto ao prédio de práticas jurídicas da URI-Santiago, na Rua  Benjamim Constante, em frente a sede do Ministério Público.

 


Veja também:


20/04/2018 | 15h37min

» Saúde: Pediatras tranquilizam pais sobre o surto de toxoplasmose

20/04/2018 | 14h25min

» Economia: Emprego formal cresce 0,15% em março, informa ministério

20/04/2018 | 14h02min

» Trânsito: Lei que pune com mais severidade motoristas sob efeito de álcool e outras drogas já está valendo


Comentários:


Voltar ao topo