No ar:
Plantão Gaúcha - Rede Gaúcha Sat    22h00min às 23h59min

Ouvir!     

» Geral » Meio Ambiente/Pecuária


20/07/2018 | 15h40min

Sistema Silvipastoril volta a ser alternativa para o cultivo de materiais florestais

Em Santiago existem atualmente duas propriedades que implantaram o sistema

O sistema Silvipastoril, depois de ter sido comentado ao longo do tempo, volta a ser tema e se constitui numa importante alternativa para o cultivo de materiais florestais consorciados com a pecuária, em especial a de corte e de leite.

 

Conforme o engenheiro agrônomo Otávio Mendonça Poletto, da Emater de Santiago, o sistema é desenvolvido para melhorar o conforto dos animais, que permanecem na sombra durante as horas de sol mais intenso, reduzindo o estresse e aumentando o ganho de peso, ou produção de leite.

 

Outra grande vantagem do sistema Silvipastoril é a maximização e aproveitamento da área, pois além de produzir a pecuária,  a cada 12 ou 15 anos pode-se comercializar a madeira que pela condição,  apresenta maior qualidade que os cultivos convencionais, sendo mais densa e pesada.

 

Poletto acrescenta que o plantio de árvores na pastagem também reduz a incidência de geadas e ameniza efeitos da seca, pois apresenta sombreamento e termo regulador, sem falar que melhora em muito a renda do produ

 

O sistema consiste em plantar fileiras de árvores com espaçamentos de forma que a sombra das mesmas não interfira no desenvolvimento da forragem da área, possibilitando assim a criação de animais sob elas

 

Em Santiago existem atualmente duas propriedades que implantaram o Silvipastoril. A ideia da Emater é contatar os proprietários para promover um Dia de Campo.

 


Veja também:


20/03/2019 | 09h52min

» Curso de Direito: Uri Santiago: acadêmicos receberam Florisbal Del’Olmo para falar sobre Direito Internacional

20/03/2019 | 09h45min

» Economia: PIB brasileiro cresceu 0,3% de dezembro para janeiro, mostra FGV

20/03/2019 | 09h34min

» Violência: A cada 60 minutos, uma criança ou adolescente morre por arma de fogo


Comentários:


Voltar ao topo