No ar:
Caseriando - Marco Antônio Nunes    12h00min às 14h00min

Ouvir!     Fale com o locutor

» Geral » Meio Ambiente


05/06/2017 | 10h30min

Seminário das Ciências Agrárias e Biológicas: por uma agricultura sustentável

Aumentar a produtividade sem esgotar os recursos naturais, o foco do seminário

Agricultura sustentável é o foco. Foto: Karoline Flores​/DivulgaçãoAgricultura sustentável é o foco. Foto: Karoline Flores​/Divulgação

Dias 24 e 25 de maio, a URI sediou o segundo Seminário das Ciências Agrárias e Biológicas com a temática Biotecnologia e Sustentabilidade Agrícola. O evento, organizado pelos professores Danie Sanchotene e Ludmilla Ribeiro, teve o auxílio dos acadêmicos, em especial do terceiro  semestre de Agronomia.

 

A prioridade do seminário é conscientizar a comunidade em geral quanto ao estabelecimento de uma agricultura sustentável, que preserve o meio ambiente e atente para segurança alimentar futura.

 

Conforme os professores organizadores, nesta perspectiva, a biotecnologia de plantas ocupa papel central na busca de soluções para atenuar os problemas, atuais e futuros, causados pelo estilo de vida adotado pelo homem. Além disso, percebe-se um aumento na demanda por profissionais em setores relacionados à produção e a qualidade de alimentos, programação da produção e do uso racional dos solos, a fim de atender a crescente procura por produtos saudáveis.

 

A URI, como instituição de ensino comunitária, está comprometida não apenas com seus acadêmicos, mas também com a comunidade do Vale do Jaguari e região,  promovendo sempre momentos de discussão e atualização. O evento contou com a presença de profissionais e numerosa participação de acadêmicos e egressos. 


Veja também:


24/06/2017 | 19h57min

» Educação: "Recriança" vai trabalhar exercícios físicos e jogos antigos com alunos dos 6 aos 12

24/06/2017 | 19h53min

» Solidariedade: Sesc distribui uma tonelada de alimentos para entidades sociais de Santiago

24/06/2017 | 19h49min

» Educação: Prazo da Base Nacional para alfabetização de crianças pode ser revisto pelo CNE


Comentários:


Voltar ao topo