No ar:
Jornal falado - Jones Diniz e Paulo Pinheiro    12h15min às 12h50min

Ouvir!     

» Geral » Agricultura


15/08/2017 | 16h34min

Semeadura do trigo em Santiago está concluída e as pretensões desta cultura aumentaram

Intenção do plantio no município, passou de 5.400, para 5.900 hectares, com rendimento previsto de 3 mil quilos/hectare

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

A semeadura do trigo em Santiago está concluída e as pretensões desta cultura aumentaram. Com um produtor aumentando a área em 500 hectares, a intenção do plantio no município, passou de 5.400, para 5.900 hectares, com rendimento previsto de 3 mil quilos/hectare.

 

Baseado no Informativo Conjuntural da Emater local, o engenheiro agrônomo Marcelo Steiner observou que em algumas áreas as plantas do cedo estão com o desenvolvimento atrasado devido a falta de umidade do solo. As semeaduras no tarde estão no início do desenvolvimento, com triticultores aumentando os níveis de ureia a lanço para potencializar o crescimento. 

 

Em relação à comercialização e produção do tomate, na semana passada foram vendidos 70 kg ao preço médio de R$ 4,00 o quilo, assinalando perda na produção comercial de 30% devido à última geada. As mudas de tomate safra 2017/2018 já estão semeadas e apresentam boa germinação e desenvolvimento das plantas.

 

Quanto a alface, foram comercializados 8.500 pés  (10% hidropônico e 4,5% orgânico) , todos produzidos em ambiente protegido, com preço médio ao produtor, variando de R$ 1,00 a R$ 1,20 por pé; R$ 1,55 para o Programa de Aquisição de Alimentos, a R$ 1,85 para o Plano Nacional de Alimentação Escolar e entre R$ 1,50 a R$ 2,00 por pé para as alfaces orgânicas vendidas na feira.

 


Veja também:


21/02/2018 | 11h18min

» Oportunidade: Tem vaga de cozinheira no Sine de Santiago

21/02/2018 | 10h21min

» Economia: Pesquisa diz que, de 69 milhões de casas, só 2,8% não têm TV no Brasil

21/02/2018 | 08h58min

» Segurança: Santiago, São Borja e Itaqui tiveram a maior apreensão de drogas; 21ª DPRI/Santiago divulga dados estatísticos de 2017


Comentários:


Voltar ao topo