No ar:
Jornada Esportiva - Rede Gaúcha Sat    18h00min às 20h00min

Ouvir!     

» Geral » Meio Ambiente


22/05/2017 | 17h01min

Santiago vai ganhar 35 mil mudas de flores para dar cor ao inverno

Produção no Horto Florestal está mil, e não só de flores, mas de arvores

Petúnia, amor perfeito, boca de leão e repolhinho são as quatro espécies que combinam com o frio. Foto: Ieda Beltrão/Márcio BrasilPetúnia, amor perfeito, boca de leão e repolhinho são as quatro espécies que combinam com o frio. Foto: Ieda Beltrão/Márcio Brasil

As flores que vão enfeitar os canteiros, praças e avenidas durante o inverno, já estão sendo cultivadas no Horto Florestal de Santiago. Valdir Trombini, responsável pelo local, diz que estão sendo produzidas cerca de 35 mil mudas de petúnia, amor perfeito, boca de leão e repolhinho, espécies que gostam do clima mais gelado. 

 

Veja imagens das flores de inverno AQUI

 

 A produção do Horto Florestal é imensa e lá o que não falta é trabalho. "Sempre tem uma coisa ou outra pra se fazer e o que falta é tempo pra fazer tanto mais que se poderia", afirma Trombini. 

 

Anualmente, são mais de 100 mil mudas de plantas cultivadas no Horto, entre flores que enfeitam as praças e canteiros da cidade, às árvores que servem para o reflorestamento urbano. "Estamos sempre cultivando e fazendo o replantio nos canteiros de acordo com o que mais se adapta ao clima da estação. É um cuidado pra manter a cidade bonita".

 

Outra produção forte é a de hortaliças. Ao longo do ano, são colhidas milhares de pés de alface, incontáveis maços de tempero, agrião, couve e muito mais. É alimento que é distribuído para as Emeis e reforça a merenda escolar das crianças. 

 


Veja também:


21/04/2018 | 13h34min

» Serviço: Manutenção em nobreaks deixará site fora do ar. Veja como emitir notas fiscais

21/04/2018 | 13h20min

» Tecnologia: Pesquisa aponta que grupos de família no WhatsApp são o principal transmissor de fake news

21/04/2018 | 13h10min

» Educação: Estudantes de pós-graduação têm mais chance de terem depressão, indica estudo


Comentários:


Voltar ao topo