No ar:

Ouvir!     

» Geral » Meio Ambiente


15/05/2018 | 10h43min

Santiago em alerta máximo contra a dengue; 11 casos suspeitos estão sob investigação

Município está infestado do mosquito aedes aegypti. Prefeito Tiago Gorski diz que "chega de tolerância", multa será aplicada em quem mantém criadouros

Centro de Santiago é o grande drama. Foto: Ieda BeltrãoCentro de Santiago é o grande drama. Foto: Ieda Beltrão

Não é de hoje que a Secretaria da Saúde de Santiago, em parceria com outras secretarias vem alertando, combatendo a proliferação do mosquito aedes aegypti, agente transmissor da dengue. 


Nesta terça-feira (15) a secretária de saúde, Giselle Kollinski Ribeiro, em entrevista à Rádio Santiago, programa Olho Vivo, disse em alto em bom som que a cidade está em alerta.

 

A maior preocupação nesse momento são 11 pessoas suspeitas de estarem contaminadas. "Infelizmente estamos nessa situação, com 11 pessoas apresentando sintomas semelhantes. Material já foi coletado e enviado para o Laboratório Central do Estado (Lacen) em Porto Alegre", ressaltou Giselle. São dois casos isolados nos bairros São Vicente e São  Jorge e nove no centro da cidade.

 

A secretária também destacou que os agentes contam com um grupo de seis integrantes da Vigilância Ambiental de Santa Maria, investigando os casos e realizando visitas nos locais as pessoas suspeitas de terem a doença, onde trabalham e moram. Esse grupo vai permanecer em Santiago por quinze dias.

 

Manchas avermelhadas pelo corpo, febre alta e dores musculares, esses são os principais sintomas apresentados por contaminados pela dengue. Quem apresentar esses sintomas deve procurar a secretaria de Saúde. Todas as Unidades de Estratégia de Saúde estão em alerta e com protocolos de espera se houver alguma queixa.

 

Giselle também pediu que todas àquelas pessoas que souberem de locais com acúmulo de lixo, água parada, denunciem. "É preciso uma força tarefa, temos que combater antes que se torne incontrolável, precisamos da colaboração de todos", disse. 

 

A secretária observa que Santiago,  é a cidade, das trinta e duas que integram a 4ª Coordenadoria Regional de Saúde, com maior índice de infestação do mosquito aedes aegypty, na frente até do município de Santa Maria.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, o índice de infestação do aedes aegypti acima de 1% é considerado situação de alerta e superior a 4% corresponde a risco de surto. Em Santiago, a infestação do mosquito chegou a 8%, índice de alto risco.

 

Denúncias podem ser feitas pelo telefone 3249-7600 ou pelo e-mail vigiambisantiago@gmail.com.


Multa

 

Santiago apresenta o maior índice de infestação do mosquito aedes aegypti dos últimos dez anos, principalmente na região central da cidade.

 

O prefeito Tiago Gorski Lacerda observa que nada adianta o poder público fazer sua parte se a maioria da população não se conscientiza de um “ sério problema de saúde pública”.

 

Gorski já alertou aos moradores sobre a multa que será aplicada, sem mencionar a forma de sanção, àqueles que não estão fazendo sua parte na eliminação de qualquer depósito de água parada ou a devida proteção, para os casos de armazenamento da chuva.

 

Salientou que agora “ chega de tolerância” e lamenta que o município tenha que agir de forma diferente, multando quem está desconsiderando as medidas de prevenção e combate ao mosquito transmissor da dengue e outras doenças.

 

Gorski reafirma ainda que são muitas residências infestadas pelo aedes, de moradores de todas as classes econômicas. Apesar de a multa ser uma atitude extrema, o prefeito observa que “extremo mesmo é o índice de infestação da cidade, pela falta de colaboração de muitas pessoas”.

 

 


Veja também:


20/05/2018 | 14h47min

» Saúde: Conheça a diferença entre dengue, zika e chikungunya

20/05/2018 | 14h33min

» #ficaadica: Receitas caseiras que ajudam no combate ao Aedes aegypti

20/05/2018 | 14h22min

» Meio Ambiente: Medidas de combate ao mosquito Aedes aegypti


Comentários:


Voltar ao topo