No ar:
Plantão Gaúcha - Rede Gaúcha Sat    22h00min às 23h59min

Ouvir!     Fale com o locutor

» Geral » Saúde


16/04/2017 | 09h24min

Risco de contrair febre amarela pode ser menor para quem já teve dengue

A informação é do consultor científico do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos

O paciente que contraiu dengue pode ter menos chance de ser infectado pela febre amarela. A informação é do consultor científico do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Reinaldo Menezes. O professor disse que há muitas evidências laboratoriais, epidemiológicas e históricas de que a dengue protege contra a febre amarela. Um estudo feito pela equipe de Menezes mostrou que a viremia (presença de vírus no sangue) é mais baixa nas pessoas que já tiveram dengue.

 

“Embora não esteja provado nem eu tenha a certeza, acho que a gente pode falar que é muito provável que a dengue tenha protegido o Rio de Janeiro até agora contra a febre amarela e também dos eventos adversos”, disse o professor.

 

Entre as evidências e fatores históricos, Menezes lembrou a observação feita, após uma epidemia de febre amarela, de um grupo de soldados do interior do Equador que não tiveram dengue e outros da região costeira que tinham contraído a doença. A avaliação indicou maior incidência de febre amarela nos militares da região sem dengue.

 

“Estudei bastante isso. Acho que o número de evidências é muito forte mostrando que dengue não evita a febre amarela, mas evita as formas mais graves da doença, pelo menos, diminui muito a incidência dessas formas mais graves. Isso deverá proteger contra febre amarela e também deve proteger contra os eventos adversos da vacina”, acrescentou.

 

EBC

 

 


Veja também:


25/05/2017 | 17h04min

» Política: OAB protocola na Câmara pedido de impeachment do presidente Temer

25/05/2017 | 16h19min

» Direitos humanos: Conheça as regras para adotar uma criança no Brasil

25/05/2017 | 16h14min

» Política: Senado aprova MP que permite saques do FGTS


Comentários:


Voltar ao topo