No ar:
Correspondente Ipiranga - Rede Gaúcha Sat    12h50min às 13h00min

Ouvir!      Fale com o locutor/mural

» Geral » Política


07/11/2017 | 09h11min

Proposta de política de cuidados para idosos é colocada em consulta pública

s interessados terão 15 dias para enviar suas contribuições por meio da página do Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde vai lançar uma linha de cuidado específica para pessoas idosas visando ao envelhecimento saudável. A proposta de política pública será colocada em consulta pública a partir de quarta-feira (8) para receber opinião de profissionais, de usuários do Sistema Único de Saúde e de organizações da sociedade civil.

 

Os interessados terão 15 dias para enviar suas contribuições por meio da página do órgão (portalsaude.saude.gov.br). A partir das sugestões, o ministério irá consolidar o documento, que servirá como orientação para equipes de saúde da família e unidades de atendimento em todo o país. A população-alvo é a da faixa etária acima de 60 anos.

 

A promessa da nova política é promover um tratamento aos idosos não focado somente na doença, mas em um conjunto de fatores como o quadro clínico, a existência de alguma dificuldade que reduza sua autonomia, os hábitos alimentares e físicos e o contexto social do paciente. Esse método é chamado de avaliação multidimensional.

 

“Teremos uma visão mais individualizada, mais direcionada para cada idoso. Teremos equipes multidisciplinares com acompanhamento para ações de promoção, prevenção a doenças, tratamento e reabilitação”, disse o secretário de atenção à saúde do ministério, Francisco Figueiredo, durante anúncio da proposta na última segunda (6) em Brasília.

 

As informações de cada avaliação serão registradas em prontuário eletrônico e em uma caderneta, fornecida ao paciente. O ministério anunciou a distribuição de 3,9 milhões de unidades neste ano e 1,5 milhão em 2018. As 4,5 milhões de cadernetas cobrem 15% das pessoas nessa faixa etária no país.

 

Para funcionar, a nova política depende que sua implementação seja assumida pelos gestores estaduais e municipais de saúde e pelos profissionais e unidades de atendimento. Uma das sugestões do documento que será colocado em consulta pública é definir indicadores para monitorar se as orientações estão sendo aplicadas na ponta.

 

EBC


Veja também:


23/11/2017 | 10h07min

» Polícia: Localizado corpo de idoso em Jaguari; homem foi vítima de afogamento

23/11/2017 | 09h52min

» Política: Novo texto da reforma mantém idade mínima de 65 para homens e 62 para mulheres

23/11/2017 | 09h47min

» Serviço: Último processo seletivo para estagiários neste ano na Prefeitura de Santiago


Comentários:


Voltar ao topo