No ar:
Caseriando - Marco Antônio Nunes    12h00min às 14h00min

Ouvir!     Fale com o locutor

» Geral » Agricultura


29/05/2017 | 15h48min

Projeto em Santiago, articula a criação de um selo livre de agrotóxico

Fiscalização com mais rigor atualmente objetiva melhorar a qualidade do produto para o consumidor

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

Além da produção, outra preocupação do setor primário está relacionada a contaminação que pode estar associado a manipulação do alimento. Estas contaminações poderão ser de natureza biológica ou por agrotóxicos.  

 

De acordo com o  engenheiro agrônomo Dairton Lewandowisk, chefe do escritório da Emater de Santiago, no caso dos agrotóxicos, alguns deles, aplicados corretamente não causam problemas, se for atendido os níveis mínimos para aceitação humana. Ressalta que o problema decorre quando eles são aplicados em excesso ou não indicados para aquela cultura.

 

A Agência  Nacional de Vigilância Sanitária está monitorando isso e mostrando alguns produtos com excesso de agrotóxicos que acabam indo para a mesa dos brasileiros. Em decorrência da segurança alimentar, Dairton lembrou que os agricultores que entregam em supermercados precisam identificar seus produtos, como frutas e verduras, por exemplo.

 

 Algumas empresas exigem identificação como nome, bloco do produtor e informações sobre o produto. A fiscalização com mais rigor atualmente objetiva melhorar a qualidade do produto para o consumidor.

 

Projeto em Santiago, articula a criação de um selo livre de agrotóxico. Hoje o municipio conta com cerca de seis produtores orgânicos 100% que desenvolvem produção comercial, com feiras  às quartas no ginasião e aos sábados na Praça Moises Vianna.

 


Veja também:


24/06/2017 | 19h57min

» Educação: "Recriança" vai trabalhar exercícios físicos e jogos antigos com alunos dos 6 aos 12

24/06/2017 | 19h53min

» Solidariedade: Sesc distribui uma tonelada de alimentos para entidades sociais de Santiago

24/06/2017 | 19h49min

» Educação: Prazo da Base Nacional para alfabetização de crianças pode ser revisto pelo CNE


Comentários:


Voltar ao topo