No ar:
Olho Vivo - Jones Diniz    08h10min às 09h55min

Ouvir!     

» Geral » Denúncia


10/04/2018 | 10h03min

Polícia Civil investiga um caso de estupro de vulnerável noticiado através de um pedido de doação em rede social

Caso envolve uma menina grávida com apenas 13 anos

A Polícia Civil de Santiago, através do Cartório de Proteção a Criança e ao Adolescente está investigando um caso de Estupro de Vulnerável envolvendo uma menina de 13 anos.

 

De acordo com informações repassadas à polícia, no mês passado a mãe da vítima, teria postado na rede social facebook um pedido de doação de um berço para uma menina especial, grávida de sete meses. O caso chegou ao conhecimento da Polícia Civil que instaurou inquérito policial para apurar as circunstâncias do crime. A menina de 13 anos engravidou após manter relação sexual com um jovem de 18 anos, mesmo tomando anticoncepcional.

 

Como há suspeita que a adolescente tenha algum problema mental, a Polícia Civil solicitou que ela passe por uma avaliação psicológica. Também foi solicitado exame de violência sexual ao Instituto Geral de Perícias.

 

O caso foi encaminhado para conclusão em outra delegacia da região, na cidade onde o fato ocorreu e onde mora o acusado. O suspeito poderá responder criminalmente por estupro de vulnerável, que ocorre quando alguém mantém relação sexual com menor de 14 anos mesmo com consentimento.

 

A Polícia Civil orienta que as pessoas fiquem atentas ao que é compartilhado em redes sociais e, em qualquer suspeita de crime, procurem a Delegacia com uma cópia do que foi publicado. Havendo indícios de crime, é instaurado procedimento para apurar as circunstâncias e responsáveis. Quem efetuou a denúncia não tem envolvimento com o caso


Veja também:


24/09/2018 | 09h12min

» : Semana Acadêmica de Psicologia da URI Santiago inicia nesta segunda-feira

24/09/2018 | 09h07min

» Economia: Caixa começa a cobrar juros menores para financiamento imobiliário

24/09/2018 | 09h05min

» Economia: Cotistas com menos de 60 anos têm última semana para sacar PIS/Pasep


Comentários:


Voltar ao topo