No ar:
Santiago Atualidade - Paulo Pinheiro    10h00min às 11h45min

Ouvir!     

» Geral » Segurança


03/11/2017 | 10h08min

Polícia Civil do RS vai adotar termo feminicídio em boletins de ocorrência a partir de 2018

Tipificação será adotada pela Polícia Civil gaúcha nos documentos como nova medida administrativa

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

A partir de 1° de janeiro de 2018, os assassinatos de mulheres passarão a ser registrados oficialmente como feminicídio, no Rio Grande do Sul. A tipificação será adotada pela Polícia Civil gaúcha nos documentos como nova medida administrativa, com objetivo de aprofundar e dar maior visibilidade aos casos.

 

Mesmo sendo lei no Brasil há mais de dois anos, quando o Código Penal brasileiro foi alterado, o termo ainda é pouco usado nos registros policiais. Sem ele, antes do início da investigação, o documento pode indicar o caso apenas como homicídio ou latrocínio - roubo seguido de morte.

 

Em Pernambuco, em setembro deste ano, um decreto estadual substituiu a nomenclatura "crime passional" e instituiu o uso de "feminicídio" nos boletins de ocorrência que se referem a homicídios contra mulheres naquele estado.

 

Após o registro, a Polícia Civil instaura um inquérito e investiga o caso, ouve testemunhas e colhe provas. Ao final, pode concluir se a morte foi ou não feminicídio.

 

Isso já acontece, segundo o chefe da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, delegado Emerson Wendt. Mas a nova medida administrativa da corporação vai permitir ter um recorte mais profundo sobre as mortes violentas de mulheres no estado e tornar visível a questão de gênero associada a essas mortes.


Veja também:


23/02/2018 | 16h30min

» Imagem: Como seria se a antiga Igreja Matriz ainda estivesse em seu lugar, no centro de Santiago?

23/02/2018 | 15h34min

» Exército: Capelão militar, capitão Ivanaldo Ferreira dos Santos, se despede

23/02/2018 | 15h32min

» Exército: 1ª Bda C Mec comemora 96 anos de criação e 73 anos da Tomada de Monte Castelo


Comentários:


Voltar ao topo