No ar:
Clube do Ouvinte - Jorge Augusto Gonçalves    20h10min às 22h00min

Ouvir!     

» Geral » Segurança


18/08/2017 | 17h33min

"Ninguém vai vender areia no deserto", disse o delegado Charles sobre o consumo de drogas

O delegado da 21ª Região Policial fez questão de afirmar que Santiago não é corredor para o tráfico

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

A droga é um problema que assola muitos lares  é muito difícil de combater. Quem afirma é o delegado de polícia titular da 21ª região Policial, Charles Dias do Nascimento. Justifica que “ ninguém vai vender areia no deserto” ao se referir sobre a oferta e procura, por isso o combate se torna difícil.

 

Apesar disso, a polícia civil tem intensificado o trabalho em todo o Estado com prisões  de traficantes e grandes quantidades de drogas ilícitas por conta de uma nova meta de combate que foi implantada também na 21ª Região Policial. Charles, lembrou que desde que assumiu a região policial tem concentrado esforços na Força Tarefa, coordenada pelo delegado Guilherme Milan Antunes, cujos resultados tem sido positivos.

 

O delegado Charles fez questão de afirmar que  Santiago não é corredor para o tráfico, a droga apreendida é para consumo local e arredores, mas vem de Santa Maria. Disse que vários fatores contribuem para o sucesso das apreensões e prisões. Em primeiro lugar a formação da Forças Tarefa que conta com apoio da Brigada Militar, seguida pela colaboração das comunidades, lembrando que várias denúncias, que resultaram em apreensões  partiram delas.

 

Dos 13 municípios  que compreendem a 21ª Região Policial, Itaqui e São Borja concentram o maior número de ocorrências, o que levou á realização de operações, com mais de 20 quilos de entorpecentes apreendidos.


Veja também:


20/06/2018 | 16h28min

» Imigração Japonesa 110 anos: Museu Pedro Palmeiro resgata história da Família Kaneda

20/06/2018 | 15h56min

» Eleições 2018: Convocação de mesários está entre as atenções da 44ª Zona Eleitoral

20/06/2018 | 13h30min

» Polícia: Mais uma ocorrência de furto em Santiago


Comentários:


Voltar ao topo