No ar:
Baita Chão - Marcelo Peronio e Marco Antônio Nunes    14h05min às 15h30min

Ouvir!     

» Geral » Economia


18/10/2017 | 10h12min

Ministério da Fazenda autoriza aumento das tarifas de serviços dos Correios

Com o aumento, a carta comercial de até 20 gramas passará a custar R$ 1,83. Anteriormente, o valor era R$ 1,23

Esse é o segundo aumento do ano. Foto: Ieda BeltrãoEsse é o segundo aumento do ano. Foto: Ieda Beltrão

O Ministério da Fazenda autorizou, pela segunda vez este ano, o aumento das tarifas cobradas pelos Correios. Na edição desta quarta (18) do Diário Oficial da União, o governo autoriza o reajuste “sob forma de recomposição” das tarifas dos serviços postais e telégraficos nacionais e internacionais. O reajuste ocorre em duas parcelas: a primeira de 6,121% será por prazo indeterminado e a segunda, de 4,094% vai vigorar por 64 meses.

 

A revisão das tarifas ainda depende de publicação de aprovação pelo Ministério das Comunicações, de acordo com o Diário Oficial. Com o aumento, a carta comercial de até 20 gramas passará a custar R$ 1,83. Anteriormente, o valor era R$ 1,23.

 

Em abril, o Ministério da Fazenda havia autorizado aumento de 7,485% nas tarifas dos serviços postais e telegráficos prestados pelos Correios. Na época, a empresa explicou que os serviços da estatal são reajustados todos os anos, com base na recomposição dos custos, como aumento dos preços dos combustíveis, contratos de aluguel, transportes, vigilância, limpeza e salários dos empregados. As tarifas são atualizadas com base no Índice de Serviços Postais, indicador formado a partir de uma cesta de índices, como INPC, IPCA, e IGP-M.

 

EBC


Veja também:


18/01/2018 | 10h10min

» Denúncia: Mulher coloca fogo em residência após discussão com seu companheiro, em Maçambara

18/01/2018 | 10h01min

» Trânsito: Adolescente de 17 anos que dirigia um motocicleta sofre grave acidente de trânsito

18/01/2018 | 09h58min

» Denúncia: Cocaína, maconha, arma e munição foram apreendidas durante abordagem de veículo no bairro João de Deus


Comentários:


Voltar ao topo