No ar:
Baita Chão - Marcelo Peronio e Marco Antônio Nunes    14h05min às 15h30min

Ouvir!     

» Geral » Meio Ambiente


16/10/2017 | 16h46min

Lixo custa muito caro para Santiago

Município recolhe em média 611 toneladas/ mês de resíduos, com um custo, por tonelada de R$ 201,78

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

O município de Santiago recolhe em média 611 toneladas/ mês de resíduos, com um custo, por tonelada de R$ 201,78, totalizando no mês aproximadamente R$ 122 mil. Até então a prefeitura vinha pagando R$ 229,00 a tonelada.

 

Conforme o secretário de Obras Haroldo Pouey, isto significa uma redução de 12,04%, graças a tomada de cautelas e cuidados no processo licitatório.  Para os resíduos da saúde, o executivo pagava R$ 10,18 por quilo; atualmente paga R$ 7,72 o quilo de resíduos recolhidos, uma redução de 24,16%.

 

Pouey disse que os procedimentos de redução de custos não dispensam a qualidade do serviço oferecido, prova disso é de que nos próximos dias a Ansus, empresa contratada, estará com novos caminhos na cidade, evitando os problemas de manutenção durante a coleta dos resíduos.

 

Frente aos custos, o secretário Pouey voltou a convidar a população a separar os resíduos domésticos, reaproveitando, na medida do possível, restos de alimentos, erva mate e cascas de frutas para a produção de composteiras. Ação como esta tende a diminuir o peso pago pelo município para transporte e destino destes resíduos.

 

O lixo seco tem gerado ganho para muitas famílias que integram duas cooperativas, além dos catadores individuais. Daí a importância, mais uma vez da separação dos resíduos na hora do descarte.


Veja também:


21/06/2018 | 10h26min

» Copa da Rússia: Prefeitura de Santiago altera horários de funcionamento nos dias em que o Brasil joga

21/06/2018 | 10h21min

» Trânsito: Acidente envolvendo caminhão e carro causam lesões em passageira

21/06/2018 | 10h13min

» Economia: Apenas 16% dos brasileiros pouparam dinheiro em abril, mostra indicador do SPC Brasil e CNDL


Comentários:


Voltar ao topo