No ar:
Sábado Sertanejo - Jones Diniz    16h00min às 18h00min

Ouvir!     Fale com o locutor

» Geral » Carne Fraca


28/03/2017 | 09h13min

Laudos em produtos de frigoríficos não indicam riscos à saúde, diz ministro

Laudos foram realizados a partir de produtos recolhidos em 22 estados

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou na última segunda, 27, que os laudos técnicos de alimentos produzidos por frigoríficos interditados após investigação da Operação Carne Fraca não indicaram nenhum risco à saúde. Os laudos foram realizados a partir de produtos recolhidos em 22 estados.

 

“Nenhum dos nossos laudos indicou qualquer perigo, até agora, para o consumo destes produtos. Tudo normal”, disse Maggi. Os laudos apresentados pelo ministro são referentes à análise de 12 produtos dos 174 recolhidos até agora. As amostras analisadas são de três dos seis frigoríficos interditados durante a operação. Segundo Maggi, novos laudos devem ficar prontos ao longo da semana.

 

Segundo o ministro, apesar da inexistência de risco para a saúde, as análises indicaram a presença de ração para animais, alimentos com prazo de validade vencido ou com troca de ingredientes, como amido acima do permitido pela legislação. “Foram recolhidos produtos com irregularidades menores, como proporção errada de ingredientes, uso de carne de frango em vez de peru, e por aí vai. Nada perigoso, podem ficar tranquilos”, disse o ministro.

 

Ainda na segunda, o ministério anunciou a interdição de mais duas unidades frigoríficas alvos da Operação Carne Fraca: o Souza Ramos, em Colombo, e Transmeat, em Balsa Nova, ambos no Paraná. Até o momento, seis frigoríficos estão interditados. 


Veja também:


27/05/2017 | 13h33min

» Trânsito: Condutor embriagado e sem carteira causa acidente na BR 287 em Santiago

26/05/2017 | 19h06min

» Força Tarefa: Polícia Civil e Brigada Militar apreende cerca de 50 quilos de droga e prende dois homens e apreende um menor

26/05/2017 | 14h36min

» Saúde: Campanha de vacinação contra a gripe é prorrogada até 9 de junho


Comentários:


Voltar ao topo