No ar:
Jornal falado - Jones Diniz e Paulo Pinheiro    12h15min às 12h50min

Ouvir!     Fale com o locutor

» Geral » Clima


03/07/2017 | 15h07min

Julho será de pouca chuva, de acordo com monitoramento climático

Previsão é de que clima do Estado não sofrerá influência do El Niño ou El Niña até o primeiro semestre de 2018

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

A formação de um bloqueio às massas de ar polares, por causa da temperatura dos oceanos, garantirá um julho com pouca incidência de chuva para a maior parte do país, especialmente para o Rio Grande do Sul. É isso o que aponta o monitoramento climático encomendado mensalmente pela Rio Grande Energia (RGE) junto ao Climatempo.

 

O bloqueio ocorre porque as águas da superfície da costa Oeste da América do Sul e as do Atlântico Sul estão mais quentes do que o normal, o que ocasionou uma elevação considerável na faixa entre o litoral Norte da Argentina, Uruguaia e Rio Grande do Sul. Com esse cenário, as frentes frias passam afastadas da costa e a massas polares serão continentais, mas sem representatividade. O bloqueio só deve ser quebrado no final de julho, com a mudança na configuração da temperatura dos oceanos.

 

O acompanhamento climático também indica que, segundo os modelos oceânicos, até o final do ano haverá o registro um ligeiro aumento na temperatura das águas do Pacífico Equatorial, o que contribui para a não formação de um novo El Niño ou de uma nova La Ninã até o primeiro semestre de 2018.

 

 


Veja também:


22/09/2017 | 10h02min

» Clima: Pancadas de chuva deve marcar o início da primavera

22/09/2017 | 09h45min

» Internacional: Líder norte-coreano diz que Trump pagará muito caro por ameaças ao país

22/09/2017 | 09h34min

» Economia: Últimos dias para pagar impostos atrasados com 80% de desconto sobre as multas e juros


Comentários:


Voltar ao topo