No ar:

Ouvir!     

» Geral » Economia


07/12/2017 | 08h46min

Jaguari e Emater firmam parceria em prol dos produtores da Bacia Leiteira

A união é em busca de pastagens de qualidade para o gado leiteiro, como o Tifton

Prefeitura auxiliar na busca do Tifton para a Bacia Leiteira do município.  Foto: DivulgaçãoPrefeitura auxiliar na busca do Tifton para a Bacia Leiteira do município. Foto: Divulgação

Uma parceria firmada entre a prefeitura de Jaguari através da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário com o escritório local da Emater, viabiliza incremento nas ações de apoio aos produtores da bacia leiteira do município.

 

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Agropecuário Alexandre Nadalon, o escritório municipal da Emater/RS-Ascar de Jaguari vem auxiliando os produtores da bacia leiteira na formação de pastagens perenes, já há algum tempo.

 

“No ano passado, o técnico Douglas Pedrozo Cardozo auxiliou na implantação de área de pastagem Tifton 85 em 3 propriedades, sendo 2 produtores na localidade de Santo Izidro e 1 produtor na localidade de Rincão dos Alves totalizando 8 hectares de área implantada”, informa.

 

Ele destaca que nesse ano de 2017 a parceira com a prefeitura através da secretaria de Desenvolvimento Agropecuário, oportunizou a implantação de pastagens em áreas com tifton 85.

 

“A prefeitura auxiliou na busca das mudas de tifiton para beneficiar 5 produtores da bacia leiteira. Foram trazidas 49.400 mudas do município de Segredo-RS, as quais os produtores estão fazendo a implantação em suas propriedades. O previsto é que os produtores implantem uma área total em torno de 3,5 hectares. Totalizando em 2 anos uma área 11,5 há de tifton implantado”, afirma Nadalon.

 

Segundo ele, o Tifton é uma pastagem perene de ótimo valor nutritivo que serve para o pastoreio dos animais e também pode ser utilizado para feno. “Outra grande vantagem desse pasto é que não necessita ser reimplantado todos os anos. Como é perene produz grande oferta de forragem, e se o clima ajudar a oferta do pasto pode começar já no mês de setembro, seguindo a abril ou maio. Outro fator é a redução do custo, pois a pastagem já está implantada, sendo necessária apenas a adubação. Outra grande vantagem é diminuir o vazio forrageiro, pois nas épocas de transição para o verão e inverno os produtores enfrentam dificuldades de oferta, pois algumas pastagens estão no final de ciclo e outras em implantação e desenvolvimento causando perda de produtividade nesses períodos e aumentando custo com volumosos”, explica.

 

Alexandre Nadalon ainda informa que nesse ano de 2017, foi criada a primeira associação legalizada de produtores de Jaguari. A Aleite, Associação dos Leiteiros de Jaguari, foi criada em 17 de março de 2017 com auxílio do escritório Emater/RS-Ascar do município, escritório regional da Emater/RS-Ascar de Santa Maria e a prefeitura de Jaguari. Segundo ele, a associação conta com 12 associados e tem por objetivo congregar produtores de leite, promovendo a defesa de seus interesses e estimulando o desenvolvimento do espírito associativista em busca do desenvolvimento da classe.


Veja também:


20/10/2018 | 16h49min

» Segurança: Cerca de 85% das delegacias brasileiras não possuem servidores suficientes para realizar suas atividades

20/10/2018 | 16h47min

» Educação: Aplicação do Enem terá quatro horários diferentes

20/10/2018 | 16h37min

» Economia: Preço da gasolina cai 2% nas refinarias a partir deste sábado


Comentários:


Voltar ao topo