No ar:
Correspondente Ipiranga - Rede Gaúcha Sat    20h00min às 20h10min

Ouvir!     

» Geral » Saúde


21/12/2017 | 15h30min

Hospital de Caridade de Santiago se preocupa com a falta de soro contra picada de animais peçonhentos

Uma das causas é a falta do veneno de serpente para produção do soro, pelo Instituto Butantã

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

O Hospital de Caridade de Santiago está preocupado com o baixo número de ampolas de soro Antibotrópico (usado para picadas de cobras e outros animais peçonhentos graves).

 

 Uma das causas é a falta do veneno de serpente para produção do soro, pelo Instituto Butantã em São Paulo.

 

De acordo com a diretora técnica do HCS, Sonia Nicola, até então a instituição possuía 40 ampolas; hoje existem apenas 07. Para um paciente em estado grave que necessite de 12 ampolas, resta o encaminhamento para Santa Maria. O tempo é um fator preocupante, devido à hemorragia causada pela picada de cobra, que acaba atingindo os rins.

 

A médica pediu às pessoas que moram no interior, que evitem caminhos pedregosos e matagais; utilizem botas, calça e camisa de manga longa. Alerta também para quem costuma acampar, sugerindo áreas limpas, mesmo assim mantendo o cuidado em relação ás cobras e escorpiões. Diante da falta de soro, a prevenção é o melhor remédio para todos.

 

Sonia Nicola já conversou com a secretária municipal  da Saúde Giselle Ribeiro, no sentido de buscar a reposição do antibotrópico, acrescentando que mesmo com a quantidade existente a preocupação se mantém em função do verão e os riscos que as pessoas estão sujeitas ao serem picadas por cobras.


Veja também:


15/11/2018 | 11h52min

» Segurança: Monitoramento por câmeras tem inibido ações criminosas no centro de Santiago

15/11/2018 | 11h03min

» Economia: Desemprego fica acima da média nacional em 14 estados, aponta IBGE

15/11/2018 | 09h34min

» Educação: Uri Santiago: acadêmicos do curso de Agronomia participam de livro


Comentários:


Voltar ao topo