No ar:
Toca Brasil - Juliano Nascimento    13h20min às 14h00min

Ouvir!     

» Geral » Greve dos caminhoneiros


29/05/2018 | 09h28min

Falta combustível em nove aeroportos do país, diz Infraero

Aos passageiros, a Infraero recomenda que procurem as companhias para consultar a situação de seus voos

Após a negociação com os caminhoneiros para encerrar os protestos, ainda falta combustível em pelo menos nove dos 54 aeroportos administrados pela Empresa Brasileira de Infraestrutra Aeroportuária (Infraero) no país. Em balanço atualizado à 1h05 desta terça-feira (29), a empresa informou que monitora o abastecimento de querosene de aviação por parte dos fornecedores que atuam nos terminais.

 

Os aeroportos que estão com falta de combustível são Foz do Iguaçu (PR), Paulo Afonso (BA), Teresina (PI), Palmas (TO), João Pessoa (PB), Ilhéus (BA), Cuiabá (MT), Imperatriz (MA) e Petrolina (PE). Aos passageiros, a Infraero recomenda que procurem as companhias para consultar a situação de seus voos.

 

Apesar da falta de querosene, os aeroportos estão abertos e têm condições de receber pousos e decolagens. Nos terminais em que o abastecimento está indisponível no momento, as aeronaves que chegarem só poderão decolar se tiverem combustível suficiente para a próxima etapa do voo.

 

A Infraero alertou aos operadores de aeronaves que avaliem os planejamentos de voos para que definam a melhor estratégia de abastecimento, de acordo com o estoque disponível nos terminais de origem e destino.

 

Segundo a assessoria, a empresa está em contato com órgãos públicos ligados ao setor aéreo para garantir a chegada dos caminhões com combustível de aviação aos aeroportos administrados pela empresa.

 

EBC


Veja também:


22/06/2018 | 07h43min

» Educação: Seminário de Educação reunirá educadores de todas as redes escolares

22/06/2018 | 07h41min

» Publicidade: Promoções de fim de semana tem no Damian CenterLar!

22/06/2018 | 07h11min

» Educação: Grupo de Estudos e Pesquisa está representando a URI em evento internacional


Comentários:


Voltar ao topo