No ar:
Santiago Atualidade - Paulo Pinheiro    10h00min às 11h29min

Ouvir!     

» Geral » Economia


31/12/2017 | 14h47min

Economia em 2018 será positiva para investidores e consumidores, avaliam especialistas

Mesmo com julgamento de ex-presidente, votação de reformas e eleições, indicadores devem terminar o ano com saldos positivos

Em 2017, as incertezas econômicas foram pontualmente causadas pelas denúncias envolvendo o Executivo e o Legislativo nacionais, aprovações de reformas polêmicas e delações em que nomes de grandes empresas brasileiras foram citados. Para 2018, o cenário não deve ser diferente.

 

O início do calendário já é tomado pelo julgamento do ex-presidente Lula, que deve responder pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Já em fevereiro deve acontecer a votação da reforma da Previdência, sem contar que em outubro o Brasil terá eleições presidenciais.

 

No entanto, esses fatores, na avaliação do consultor econômico, Carlos Eduardo de Freitas, não serão determinantes para impedir o avanço dos índices previstos pelas projeções para o ano que vem.

 

“Esses fatores podem ter algum efeito de curto prazo. Teria algum efeito imediato, uma pequena turbulência nos mercados, Bolsa, dólar. Mas não vejo a economia sendo afetada. A economia está muito firme, as expectativas inflacionárias perfeitamente ancoradas, a recuperação é um dado concreto. O mercado já entende que o PIB de 2018 vai crescer 2,7%. Na minha opinião, vai chegar a 3%.”

 

Segundo estimativas do Banco Central, a taxa básica de juros (Selic), deve cair para 7% e a inflação ficar em torno de 2,78%, abaixo do piso da meta do governo, que é de 3%. O financista Marcos Melo explica que, dessa forma, os investidores criam mais confiança e o consumidor pode se planejar melhor durante o ano.

 

“Quando você tem uma taxa de juros mais baixa, a tendência é gerar mais emprego e aumentando a renda. É uma boa notícia que a taxa de inflação esteja sob controle. Isso faz aumentar o poder de compra das pessoas em geral. O fato de a inflação está sob controle, significa que se pode planejar melhor.”

 

Além disso, dados do Boletim Focus, documento divulgado semanalmente pelo Banco Central, apontam que a previsão de crescimento da economia para 2018 é de 2,68%, resultado maior do que os 2,64% apresentados no último Boletim Focus.


Veja também:


21/02/2018 | 08h58min

» Segurança: Santiago, São Borja e Itaqui tiveram a maior apreensão de drogas; 21ª DPRI/Santiago divulga dados estatísticos de 2017

21/02/2018 | 08h47min

» Saúde: Mariposas podem causar dermatite de contato na pele e nos olhos

20/02/2018 | 17h07min

» Pecuária: Para onde irão os Novilhos? Seminário inicia nesta quarta


Comentários:


Voltar ao topo