No ar:
Plantão Gaúcha - Rede Gaúcha Sat    22h00min às 23h59min

Ouvir!     

» Geral » Saúde


09/05/2018 | 11h55min

Dia D da campanha de vacinação será neste sábado

Expectativa do Ministério da Saúde é vacinar pelo menos 54 milhões de pessoas até 1º de junho

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

O Dia D será realizado neste sábado (12), quando os 65 mil postos de vacinação de todos os estados ficarão abertos para intensificar a vacinação. 

 

A expectativa do Ministério da Saúde é vacinar pelo menos 54 milhões de pessoas até 1º de junho, mas até agora apenas 11 milhões de pessoas receberam a vacina em todo o país.

 

O objetivo é proteger a população com maior risco de ficar doente ou de ter as consequências mais graves. De acordo com a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues, a vacina é a única forma de evitar a influenza e todo o ano é preciso tomar uma nova dose.

 

“A Organização Mundial da Saúde avalia quais são os três principais vírus que circulam, porque existem vários, e aqueles que têm a maior prevalência de circulação são incluídos na vacina. Então mesmo que você tenha tomado a vacina no ano passado ou em anos anteriores, é necessário tomar a vacina este ano se você for participante dos grupos prioritário definidos pelo Ministério da Saúde”.

 

As pessoas que devem receber a vacina contra a gripe são crianças de seis meses até cinco anos incompletos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; povos indígenas; gestantes, mulheres até 45 dias após o parto; população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional, pessoas com doenças crônicas ou com outras condições clínicas especiais, além dos professores da rede pública ou privada.

 

 


Veja também:


25/05/2018 | 16h35min

» Política: Temer autoriza uso de forças federais para desbloquear rodovias

25/05/2018 | 15h58min

» Movimento: Mobilização em Santiago reuniu milhares de pessoas em carreata

25/05/2018 | 13h01min

» Política: Temer fará pronunciamento sobre paralisação de caminhoneiros


Comentários:


Voltar ao topo