No ar:
Pátria e Querência - Paulo Pinheiro    15h30min às 17h00min

Ouvir!      Fale com o locutor/mural

» Geral » Internacional


14/09/2017 | 10h00min

Cientistas dizem que furacões como o Irma são evidência de aquecimento global

Relatório é parte da Avaliação Nacional do Clima e começou a ser feito durante o mandato de Bill Clinton, em 1990

A ocorrência este mês de dois furacões em um prazo de uma semana - o Harvey, no  Texas, e o Irma, em países do Caribe e da Flórida - reacendeu o debate sobre as mudanças climáticas e trouxe novas críticas ao posicionamento da gestão Trump. A maior parte da comunidade científica americana relaciona a incidência de furacões mais destrutivos ao aumento da temperutura global.

 

Um estudo chamado Relatório Especial Ciência e Clima, do Programa de Investigação da Mudança Global dos Estados Unidos (CSSR, a sigla em Inglês), que reune cientistas da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica  (NOAA), da Nasa e de mais 11 agências federais do país, afirma que a atividade humana contribui para o aumento da temperatura global e, consequentemente, a incidência de furacões.

 

No estudo, a incidência de furacões mais destrutivos é usada como evidência de que é “muito provável que mais da metade do aumento das temperaturas, ao longo das últimas quatro décadas, foram causadas pela atividade humana.

 

EBC


Veja também:


15/12/2017 | 14h35min

» Economia: Setor de serviços recua 0,8% de setembro para outubro, diz IBGE

15/12/2017 | 14h24min

» Memória: Museu municipal Pedro Palmeiro com novo horário

15/12/2017 | 14h02min

» Trânsito: Santiago segue em obras com asfaltamentos em trechos da Bento e da Pinheiro


Comentários:


Voltar ao topo