No ar:
Pátria e Querência - Paulo Pinheiro    15h30min às 17h00min

Ouvir!     Fale com o locutor

» Geral » Economia


10/02/2017 | 09h53min

Calendário de saques de contas inativas do FGTS deve ser anunciado nesta terça

Saques devem ocorrer de acordo com mês de aniversário do trabalhador

Foto: Ieda BeltrãoFoto: Ieda Beltrão

O calendário de saques de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) deve ser anunciado pelo governo no dia 14 de fevereiro. O cronograma de liberação do dinheiro ainda não foi divulgado oficialmente, mas os saques deverão ocorrer de acordo com o mês de aniversário do trabalhador.

 

Depois da divulgação, a Caixa deverá começar a receber demandas sobre a retirada do dinheiro.

 

Quem deve aproveitar para sacar o FGTS?

 

“A liberação das contas inativas do FGTS é também política social. Temos R$ 42 bilhões retidos nessa fonte. No dia 14, me ajude se eu errar nas datas, os senhores vão começar a receber as demandas dos detentores das contas inativas”, disse o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, a servidores da Caixa em evento na última quinta.. 

 

O banco vai criar canais exclusivos para informar os trabalhadores sobre o saque para que não haja uma corrida às agências.

 

Poderão ser sacados os valores de todas as contas inativas do FGTS até 31 de dezembro de 2017, sem limite de retirada. As contas inativas do FGTS são as que não recebem mais depósitos do empregador porque o contrato de trabalho foi suspenso. O trabalhador pode consultar a existência e o saldo de contas inativas do Fundo de Garantia por meio do site da Caixa, SMS, nas agências do banco e pelo aplicativo do FGTS.

 

EBC


Veja também:


30/03/2017 | 14h56min

» Meio Ambiente: Secretaria de Meio Ambiente promove adequações na usina de reciclagem

30/03/2017 | 14h26min

» Região: Retomada das obras de reconstrução da ponte de Jaguari mais perto de acontecer

30/03/2017 | 11h50min

» Segurança: Superlotação do Presídio Estadual de Santiago preocupa autoridades que se reúnem para debater a situação


Comentários:


Voltar ao topo