No ar:
Baita Chão - Marcelo Peronio e Marco Antônio Nunes    14h05min às 15h30min

Ouvir!     

» Geral » Economia


29/06/2017 | 15h53min

Caixa começa a liberar crédito do Plano Safra na próxima semana

A maior parte dos recursos será para custeio da produção agrícola

A Caixa Econômica Federal informou hoje (29) que disponibilizará mais de R$ 10 bilhões para o ano safra 2017/2018, que começa em 1º de julho. O crédito estará disponível em linhas com recursos obrigatórios, livres e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A maior parte dos recursos será para custeio da produção agrícola.

 

Os agricultores interessados poderão apresentar suas propostas nas agências da Caixa a partir da próxima quarta-feira (5), quando o banco já estará apto a contratar as operações com as condições do Plano Safra 2017/2018 para produtores rurais e cooperativas. No início deste mês, o governo federal anunciou R$ 190,25 bilhões em recursos para o plano.

 

Os empréstimos obedecerão às novas regras do Plano Safra. Os recursos dos depósitos à vista foram direcionados para o crédito de custeio e houve alteração no limite de contratação, permitindo que o produtor contrate a totalidade do limite de R$ 3 milhões em qualquer momento do ano. As taxas de juro do custeio agrícola e pecuário foram reduzidas em um ponto percentual, para 8,5% ao ano.

 

Para agricultores com faturamento bruto anual máximo de R$ 1,76 milhão, que se enquadram no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), os juros serão de 7,5% ao ano.

 

Segundo a Caixa, gerentes especializados atuarão regionalmente para atender melhor aos produtores.

 

EBC


Veja também:


18/01/2018 | 10h10min

» Denúncia: Mulher coloca fogo em residência após discussão com seu companheiro, em Maçambara

18/01/2018 | 10h01min

» Trânsito: Adolescente de 17 anos que dirigia um motocicleta sofre grave acidente de trânsito

18/01/2018 | 09h58min

» Denúncia: Cocaína, maconha, arma e munição foram apreendidas durante abordagem de veículo no bairro João de Deus


Comentários:


Voltar ao topo